Diário de São Paulo
Siga-nos

Fila de espera por exames médicos no estado de São Paulo aumenta 14,6%

Mais de 2,2 milhões de pessoas aguardam atendimento na rede pública estadual de saúde

SUS. - Imagem: Reprodução | Agência Brasil
SUS. - Imagem: Reprodução | Agência Brasil

Marina Milani Publicado em 24/01/2024, às 08h08


O número de pessoas aguardando por exames médicos na rede pública estadual de saúde do estado de São Paulo cresceu 14,6% em 2023, marcando o primeiro ano de gestão do governador Tarcísio de Freitas (Republicanos). Segundo dados obtidos via Lei de Acesso à Informação (LAI) pela equipe do Bom Dia SP, o total de pacientes na fila ultrapassa 2,2 milhões, enquanto em 2022 era de 1,9 milhões.

Os exames com maior demanda na fila são Ultrassonografia Transvaginal (138.555 pessoas aguardando), Endoscopia Digestiva Alta (115.662) e US Abdome Total (108.330). O tempo médio de espera é de pelo menos 21 dias, conforme informações da Secretaria Estadual da Saúde.

Entre os 20 exames com mais pessoas aguardando, muitos estão relacionados à saúde da mulher. Ultrassonografia das Mamas, por exemplo, tem 66.576 mulheres à espera, enquanto mamografias contam com 44.607 pessoas para a bilateral de rastreamento e 31.908 mulheres aguardando a realização de mamografia diagnóstica.

Especialistas apontam que o sistema de saúde ainda sofre reflexos da pandemia, sendo necessário adotar mecanismos para agilizar o atendimento e realização de exames, considerando critérios específicos de gravidade para cada caso. O professor de gestão de Saúde da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Walter Cintra Ferreira, destacou em entrevista ao g1 a importância de criar um sistema de avaliação para triar os pacientes.

O crescimento da fila também é atribuído à dificuldade imposta pelos planos de saúde, que muitas vezes impedem pacientes de realizar exames, levando-os a buscar atendimento no serviço público.

Em resposta, o secretário estadual de saúde de SP, Eleuses Paiva, destaca que em 2022 cerca de 2,9 milhões de pessoas foram retiradas das filas, e em 2023, outras 3,4 milhões saíram da espera. Ele menciona a estratégia para 2024, que envolve a implementação da tabela SUS paulista, visando atrair novos prestadores e aumentar a oferta de exames para reduzir o número de pessoas na fila.

Compartilhe  

últimas notícias