Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Mundo

Apresentadoras de TV no Afeganistão devem cobrir o rosto, diz Taliban

Publicado

em

Apresentadoras de TV no Afeganistão devem cobrir o rosto, diz Taliban

Prazo para cumprir determinação é neste sábado, dia 21 de maio

Autoridades do Taliban pediram às redes de televisão do Afeganistão que garantam que as apresentadoras de emissoras locais cubram seus rostos quando estiverem no ar, disse uma autoridade nesta quinta-feira (19).Apresentadoras de TV no Afeganistão devem cobrir o rosto, diz TalibanApresentadoras de TV no Afeganistão devem cobrir o rosto, diz Taliban

A medida ocorre dias depois que as autoridades ordenaram que as mulheres cubram seus rostos em público, um retorno a uma política do antigo regime linha-dura do Taliban e uma escalada de restrições que provocam críticas dentro do país e no exterior.

“Ontem nos encontramos com representantes da mídia. Eles aceitaram nosso conselho com muita satisfação”, disse Akif Mahajar, porta-voz do Ministério para Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, do Taliban, à Reuters, acrescentando que essa medida seria bem recebida pelos afegãos.

Embora tenha classificado a medida como um “conselho”, Mahajar acrescentou: “A última data para cobertura de rosto para apresentadoras de TV é 21 de maio”, referindo-se a quando o cumprimento do novo requisito deve começar.

Ele não respondeu a uma pergunta sobre quais seriam as consequências de não seguir o conselho.

A maioria das mulheres afegãs usa lenço na cabeça por motivos religiosos, mas muitas em áreas urbanas como Cabul não cobrem o rosto. Durante o último governo do Taliban, de 1996 a 2001, era obrigatório que as mulheres usassem a burca azul que cobre o corpo todo.

Mahajar disse que as apresentadoras podem usar uma máscara facial médica, como tem sido amplamente utilizada durante a pandemia de covid-19.

Alguns canais já começaram a implementar a nova regra.

.
.
.
.
.
.
EBC

mais lidas