Diário de São Paulo
Siga-nos
Piercing Inflamado

Jovem de 20 anos morre após aplicação de piercing dar errado; entenda

Andressa Souza ficou 24 dias internada após colocar o acessório

Casada e mãe de um menino de três anos, Andressa morreu por infecção que se instalou no cérebro - Imagem: reprodução Instagram @gossipdodia
Casada e mãe de um menino de três anos, Andressa morreu por infecção que se instalou no cérebro - Imagem: reprodução Instagram @gossipdodia

Publicado em 12/07/2022, às 16h39 Vitória Tedeschi


Andressa Souza, de 20 anos, morreu no último sábado (9) após passar 24 dias internada na unidade de terapia intensiva (UTI) do Hospital da Vida, em Dourados, Mato Grosso do Sul, devido a uma infecção generalizada causada por um piercing inflamado na boca.

Dona de casa e mãe de um menino de 3 anos, Andressa teve 37% do cérebro comprometido pela infecção, que acabou entrando na corrente sanguínea. Durante o tempo que ficou internada, ela esteve entubada e teve duas paradas cardíacas. 

A mãe da jovem, Maria Aparecida, em entrevista ao g1, contou que a filha pagou R$60,00 para colocar o acessório na boca e disse não saber se o lugar era apropriado para realizar o procedimento.

"Há poucos dias dela ter sido internada, a minha filha tinha colocado um piercing na boca. Infeccionou e inchou, ela não conseguia tirar. Depois de vários exames, o médico constatou que foi o piercing que provocou toda a complicação. A infecção se alastrou rápido", relatou a empregada doméstica.

Ela também contou que foi por volta do último dia 13 de junho que Andressa começou a passar mal, ter dores de cabeça e febre. No início dos sintomas, acreditava-se que ela estava com dengue.

"Várias pessoas pegaram dengue lá em casa. Minha filha estava com dor de cabeça e febre. O médico medicou a Andressa e ela veio embora", detalhou a mãe.

No entanto, Maria contou que após a filha voltar para casa, o quadro piorou. Foi quando os médicos indicaram a necessidade de uma ressonância magnética, já que a jovem reclamava de dores constantes na cabeça.

Transferida de Itaporã para Dourados foi descoberta a infecção no cérebro, que mais tarde causou a morte da jovem. Segundo os médicos, do município de Itaporã (MS), que atenderam a paciente, caso ela sobrevivesse poderia ficar em estado vegetativo.

"Uma menina linda, nova, que tinha tudo pela frente, tinha sonhos. De repente, por causa de uma porcaria que colocou na boca, que causou toda essa dor e sofrimento para ela. Ficou 24 dias sob medicamentos, intubada. Até agora não estou acreditando", desabafou a mãe, ainda em depoimento ao G1. 

Compartilhe