Diário de São Paulo
Siga-nos
Assustador!

Funcionária é demitida após descobrir que empresa a monitorava pela webcam; assista relato

Jay, estadunidense, ex-empregada da fintech Klarna, desabafou no TikTok sobre o ocorrido

Funcionária, que é mãe, afirma que não poderia nem mesmo pegar o celular durante o expediente - Imagem: TikTok @michaejay22
Funcionária, que é mãe, afirma que não poderia nem mesmo pegar o celular durante o expediente - Imagem: TikTok @michaejay22

Publicado em 21/07/2022, às 09h44 João Perossi


Seria um episódio de Black Mirror? Em uma série de TikToks virais a jovem Michae Jay, estadunidense, denunciou a empresa Klarna por vigilância excessiva e invasão de privacidade durante seu expediente.

No primeiro vídeo, Jay mostrou como seu computador foi bloqueado durante o expediente por ela ter levantado da mesa para fazer um sanduíche em sua cozinha.

A imagem mostra um texto escrito "Fora da mesa. Ação aplicada", acompanhada de uma foto da funcionária levantada tirada por sua webcam.

Nos tiktoks seguintes, Jay explica que desligar a câmera não era uma opção, e que a empresa requiria que ela permanecesse com o dispositivo posicionado de modo a dar visão clara de seu quarto. 

Além de não ser permitido levantar nem para ir ao banheiro, Jay, que é mãe, também não poderia ser vista mexendo em nenhum dispositivo móvel, e o computador também seria bloqueado se outra pessoa entrasse no quarto.

Em outro vídeo, a tiktoker demonstrou como a empresa possui alta taxa de rotatividade entre seus funcionários. "Isso deveria ser uma 'bandeira vermelha", afirmou em vídeo.

Quando questionada, Jay afirmou que não lidava com informações pessoais de clientes, e que mesmo isso não justificaria a vigilância extrema.

Ela foi demitida após os vídeos. Em depoimento ao portal Daily Dot, ela afirmou ainda que os seus superiores contestavam constantemente o número de horas trabalhadas pelos funcionários, e por isso descontos no salário eram comuns.

Em abril a empresa Klarna, considerada a fintech mais importante da Europa, anunciou um corte de 10% dos funcionários, alegando passar por um "ano turbulento". Em nota divulgada ao Daily Dot, a empresa afirmou que abriu investigação interna para apurar o caso de Jay.

Veja vídeo:

@michaejay22#wfh#PrimeDayDreamDeals♬ original sound - MichaeJay
Compartilhe