Diário de São Paulo
Siga-nos

Prefeitura de SP ainda não deu início a obras de 40 km de corredores de ônibus

Levantamento do SP2 mostra que, dos 40 km prometidos, nenhum foi entregue; além disso, prefeitura também não deu inicio aos BRTs Aricanduva e Radial Leste, que também estão nas metas

Imagem: Reprodução | Redes Sociais
Imagem: Reprodução | Redes Sociais

Publicado em 20/07/2022, às 08h35 G1


A Prefeitura de São Paulo ainda não deu início às obras dos 40 km de corredores de ônibus previstos para 2024 que estão no Plano de Metas da atual gestão.
Um levantamento realizado pelo SP2 mostra que, dos 40 km prometidos, nenhum foi entregue, além disso, a prefeitura também não deu início aos BRTs Aricanduva e Radial Leste que também estão no Plano de Metas.
Além disso, dos mais de 50 km de faixas exclusivas prometidas, somente 16,6 km foram entregues.
Segundo o coordenador de mobilidade do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Rafael Calábria, a construção de corredores na cidade, historicamente, é inconstante.
“50 km é baixo para o que a cidade precisa e há facilidade de fazer infraestrutura. A faixa é apenas sinalização de prioridade para ônibus, que já dá velocidade muito boa para o veículo e reduz emissão de poluentes. Então dá agilidade para o usuário e a prefeitura poderia fazer muito mais rápido, quase que cotidianamente implementar em todo o viário onde é necessário ônibus ter essa prioridade", afirmou.
Atualmente, a cidade conta com cerca de 500 km de faixas exclusivas de ônibus e 130 km de corredores. O SP2 visitou alguns lugares da capital onde deveriam ser implementadas faixas de ônibus, mas as obras ainda nem começaram.
Na Avenida Líder, por exemplo, na Zona Leste, uma obra prometida em 2014, durante a Copa do Mundo, continua abandonada. Há oito anos nenhum veículo passa por um trecho da avenida, e a obra parou na escavação.
O corredor de ônibus não foi adiante, e o local virou um aterro de lixo e entulho.

“Aqui era tudo florido, quando falaram do corredor em 2014, foi uma alegria. Iniciaram a obra, veio Copa, e a obra acabou. Rapaz, eu não tenho mais esperanças de ver isso”, afirmou o morador Paulo Paz.
A construção do corredor faz parte do Plano de Metas da atual gestão. No primeiro ano, segundo relatório, só foi elaborada a concorrência para contratar uma outra empresa para finalizar a obra.

Corredores com buracos
Existe um plano para implantar um corredor também na Avenida Celso Garcia, na Zona Leste, mas até o momento, a obra não foi iniciada, além disso, a pista do local está com dezenas de buracos.
“Muito buraco, ondulação. Alguns trechos estão sendo reformados, mas tem muito buraco ainda, é cansativa a situação", afirmou o motorista de ônibus Luciano Alves de Oliveira, que faz o trajeto pela avenida todos os dias.
Na Avenida 23 de Maio, a Operação Tapa-Buracos passou por algumas faixas exclusivas, mas o problema não foi resolvido e, no local, as trepidações aumentaram por causa dos remendos.
O corredor da Avenida Belmira Marin, no Grajaú, também tem dezenas de buracos, e os motoristas de ônibus precisam fazer desvios pela avenida.

O que diz a prefeitura
Para este ano, a prefeitura informou que estão previstas licitações para obras dos BRT’S da Zona Leste e o corredor da Avenida Chucri Zaidan. Há planos ainda de requalificar outros 5 corredores na zonas Norte, Leste e Sul.
A gestão também informou que estão sendo inauguradas 19 km de faixas exclusivas na cidade desde o começo de 2021. Dos 19 km citados, 16 foram entregues no ano passado. Sobre o corredor da Avenida Líder, na Zona Leste, a SPTrans disse que contratou uma empresa para terminar a obra e que vem recapeando os corredores.
Disse também que irá reparar o buraco da Avenida Celso Garcia.

Compartilhe