Siga nossa Redes

Esportes

Veja cinco momentos em que os jogadores do Santos “perderam o filtro” e criticaram a diretoria

esportes

Publicado

em

Veja cinco momentos em que os jogadores do Santos "perderam o filtro" e criticaram a diretoria

Veríssimo, Diego Pituca, Marinho… Todos eles foram “sincerões” a respeito da gestão do Peixe

Seja anteriormente contra José Carlos Peres, que sofreu o impeachment da presidência, ou agora com Orlando Rollo, críticas à gestão do Santos que deixa o comando do clube neste fim de ano foram recorrentes entre jogadores.

Os casos mais recentes envolvem Lucas Veríssimo e Diego Pituca, dois titulares absolutos que receberam propostas e manifestaram o interesse de sair do clube, mas tiveram transferência travada até pelo menos o presidente eleito Andres Rueda assumir, em 2021.

Tanto Veríssimo quanto Pituca foram a público cobrar ou criticar o posicionamento da diretoria na condução das negociações, que, vale destacar, dependem de um aval dos Conselhos Deliberativo e Fiscal neste fim de mandato – e isso complica e atrasa as tratativas.

– Entristece-me demais a falta de respeito com a qual venho sendo tratado não pela entidade, mas pelas pessoas responsáveis pelo Santos. Sigo meu trabalho de cabeça erguida, em busca da tão sonhada final da Libertadores, mas peço àqueles que representam os interesses do Santos respeito e consideração por tudo que já fiz com esta camisa – disse Pituca, na mira do Kashima Antlers, do Japão.

– Torço para que as promessas sejam cumpridas e que eu possa seguir o meu caminho – falou Veríssimo, que força a saída para o Benfica, de Portugal, em seu pronunciamento mais recente.

 

Além dos dois, outro atleta que criticou a diretoria, especialmente a encabeçada por José Carlos Peres, foi MarinhoO atacante, destaque do time na temporada, chegou a dizer que o técnico Cuca era o presidente do clube.

– Não gosto de me meter muito em política, não seria a pessoa certa para falar, mas é como falei: ele (Cuca) é o nosso presidente. Tinha muita coisa errada que não conseguíamos resolver. Todo mundo esperava pelo menos alguém vir falar para a gente – declarou Marinho em setembro, justamente no dia que Peres havia sido afastado provisoriamente da presidência do Santos.

Peres também foi alvo de reclamações de Soteldo, outro titular absoluto. O antigo mandatário disse em uma de suas entrevistas que a Inter de Milão, da Itália, e outros clubes da Europa tinham interesse no venezuelano, que rebateu:

– Não vou esconder que um dos meus grandes sonhos é jogar pelo Manchester United, mas hoje a minha cabeça está 100% no Santos. Me chateou que o presidente (Peres) tenha dito o que disse e deu margem para publicarem coisas que não são verdade – disparou Soteldo.

A era Peres foi tumultuada nos bastidores e acumulou duas ações judiciais com pedidos de rescisão unilateral de contrato por atraso nos pagamentos. O atacante Eduardo Sasha, ex-Santos e hoje no Atlético-MG, foi um dos jogadores a acionar o clube na Justiça. Ao explicar sua decisão, ele atacou Peres.

– Quero esclarecer que quando tomei a posição de entrar na Justiça, nada teve a ver com a instituição Santos Futebol Clube, torcida ou cidade. Pelo contrário. Fui muito bem recebido no município pelo torcedor e tenho uma ótima relação com todo mundo no dia a dia do clube. A posição que tomei foi pela falta de respeito e de postura do presidente do clube, que fez promessas e não as cumpriu – escreveu Eduardo Sasha, em seu perfil no Instagram.

O presidente eleito Andres Rueda, seu vice José Carlos de Oliveira e os sete membros do Comitê de Gestão assumem o Santos oficialmente no dia 1º de janeiro, apesar de já trabalharem nos bastidores num processo de transição com o atual presidente, Orlando Rollo.

.

.

.

GE – Globo Esporte.

Publicidade

mais lidas