Destaque Principal Política

Temer diz que uma ‘trama’ impediu a votação da reforma da Previdência durante o governo dele

Redação
Escrito por Redação

O presidente Michel Temer (MDB) disse nesta terça-feira (16), em Curitiba, que uma “trama” impediu a votação da reforma da Previdência durante o governo dele.

Temer esteve Associação Comercial do Paraná (ACP) para receber a homenagem “Cidadania ACP”. O presidente discursou por aproximadamente uma hora e fez uma espécie de balanço desde que assumiu a Presidência da República.

Durante o discurso, o presidente disse, ainda, que a reforma é inevitável e que é preciso equiparação entre setor público e privado, além de corte de privilégios.

“Nós estávamos com os votos contados na Câmara Federal e no Senado Federal para aprovar a reforma da Previdência, mas houve uma trama aí que impediu exatamente em função dos privilégios. As pessoas acham que não podem perder privilégios e aí não perde, basta, evidentemente, colaborar um pouco mais. E eu acho que ela é inevitável”, afirmou o presidente.

Ele discursou durante quase uma hora em Curitiba e disse que reforma da Previdência não foi aprovada porque houve uma 'trama' — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

Ele discursou durante quase uma hora em Curitiba e disse que reforma da Previdência não foi aprovada porque houve uma ‘trama’ — Foto: Reprodução/ RPC Curitiba

Segundo o presidente, o déficit da Previdência, neste ano, supera os R$ 180 bilhões, e a previsão para o ano que vem é de R$ 218 bilhões.

“O país não aguenta, o país não suporta. Em um dado momento, nós só vamos ter dinheiro para pagar”.

Temer afirmou que a reforma visa tirar os privilégios. Segundo ele, a reforma faz é a uma equiparação entre o setor privado e o setor público.

O presidente citou que nem todos precisam se aposentar com o teto pago pela Previdência Social atualmente – R$ 5.645. Aquele que ganham mais, para ter um benefício maior, terá que colaborar mais.

“Qual é a aposentadoria da Previdência Social hoje? R$ 5.645. Então, todos vão se aposentar com R$ 5.645. Mas, pergunto, eu que ganho R$ 33 mil, mas eu tenho que me aposentar com R$ 5 mil? Não. Você pode se aposentar com R$ 33 mil, mas vai ter que colaborar um pouco mais”.

Temer complementou dizendo que esta ideia de igualdade é determinada pelo texto constitucional.

Ao longo de 2017, o governo federal tentou votar mudanças nas regras de aposentadoria, mas acabou desistindo em fevereiro deste ano. Considerada polêmica, a medida não encontrou apoio entre os parlamentares, que costumam evitam temas controversos em ano eleitoral.

Próximo presidente

Ainda durante o discurso, Temer afirmou que se o presidente eleito este ano estiver disposto, ele pode conversar sobre esta reforma da Previdência.

De acordo com o presidente, após os estudos no Congresso, seriam dois meses e meio para tentar votar a proposta.

“Mas volto a dizer: vai depender da vontade do presidente eleito. Se houver esta colaboração, nós podemos fazer o país avançar ainda mais”.

“Se o presidente eleito estiver disposto, vai depender disso, nós vamos ao congresso, chamamos os líderes e vamos conversar sobre essa matéria. porque ela, a reforma da previdência, está formatada, pronto para ser votada”, disse.

Em outra ocasião, em setembro deste ano, o presidente afirmou que pretende aprovar a reforma após as eleições.

Sobre o autor

Redação

Redação

%d blogueiros gostam disto: