Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Sem chuva há mais de dois meses, moradores do noroeste paulista sofrem com a qualidade do ar

Publicado

em

Sem chuva há mais de dois meses, moradores do noroeste paulista sofrem com a qualidade do ar

Não chove na região desde o dia 21 de maio. Com tantas queimadas, a poluição piora e a umidade relativa do ar tem ficado abaixo de 30%.

Não chove na região noroeste paulista há mais de dois meses e o tempo seco vem trazendo problemas respiratórios para os moradores, além das queimadas que aumentam nesse período de estiagem. Com isso, a poluição aumenta e a qualidade do ar piora consideravelmente. Não chove na região desde o dia 21 de maio.

Na segunda-feira (31), por exemplo, o sistema de monitoramento de queimadas por satélite do Inpe, Instituto Nacional de Pesquisas Especiais, mostrou dez focos de incêndio em Olímpia (SP), a quarta cidade do Estado de São Paulo que mais registrava queimadas naquele dia.

A situação é de alerta para toda região, onde foram registrados desde o começo do ano mais de 31 mil focos de incêndio. Com tantas queimadas, a poluição piora e nas últimas semanas, a umidade relativa do ar tem ficado abaixo de 30%.

“A OMS, Organização Mundial de Saúde, recomenta um valor em torno de 60%. A umidade do ar é importante porque ela umidifica as vias respiratórias, com o ar seco, agrava a qualidade do ar”, diz o engenheiro da Cetesb José Mário Ferreira.

A fumaça também é prejudicial, principalmente para quem já tem problemas respiratórios. Como é o caso da aposentada Maria Aparecida de Jesus, de 57 anos. Ela tem asma e sofre demais nesta época do ano. “Faço inalação de manhã, tarde e noite, mas mesmo assim é muito ruim. Estou sempre com falta de ar, é muito ruim para dormir”, afirma.

Nos postos de saúde já é possível ver os reflexos desse tempo seco. Na unidade básica de saúde do Parque Industrial, por exemplo, que funciona durante a noite, o movimento de junho e julho já aumentou em torno de 30%.

mais lidas