Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Responsável pela Funai no futuro governo questiona ‘política de isolamento’ de indígenas

Publicado

em

Responsável pela Funai no futuro governo questiona 'política de isolamento' de indígenas

Damares Alves terá a Funai vinculada ao futuro Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Bolsonaro já afirmou que manter índios em reservas é tratá-los como ‘animais em zoológicos’.

A futura ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos no governo de Jair Bolsonaro, Damares Alves, questionou nesta sexta-feira (7) se a “política de isolamento” é o “melhor” para os povos indígenas.

Pastora evangélica e advogada, Damares foi anunciada na quinta (6) como futura ministra de Bolsonaro. Ela terá a Fundação Nacional do Índio (Funai) no guarda-chuva de seu ministério. Atualmente, o órgão está vinculado ao Ministério da Justiça.

Damares conversou rapidamente nesta sexta com jornalistas no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde trabalha a equipe de transição do novo governo.

Perguntada sobre a posição de Bolsonaro, que critica o isolamento de povos indígenas, Damares afirmou que também questiona essa “política”.

“Nós, tanto ele como eu, questionamos a política do isolamento. Já dá para gente rever se isso realmente é o melhor para o índio, a política do isolamento”, disse Damares.

Na semana passada, Bolsonaro afirmou que manter índios em reservas demarcadas é tratá-los como “animais em zoológicos”.

“Agora, veja, na Bolívia temos um índio que é presidente (Evo Morales). Por que no Brasil temos que mantê-los reclusos em reservas, como se fossem animais em zoológicos?”, indagou o presidente eleito na ocasião.

Políticas para a Funai

Damares foi perguntada sobre o que mudaria para rever a questão do isolamento de índios. A futura ministra defendeu um trabalho gradual para inserir os povos indígenas na sociedade.

“Seria ao poucos começar a ingressar esses povos, sem agressão alguma a sua cultura, respeitando a especificidades, respeitando inclusive aqueles povos isolados”, explicou.

Damares ainda declarou que sua posição não mudaria “nadinha” na política de reservas indígenas. Bolsonaro é crítico do assunto e afirmou durante a campanha que, se eleito, não faria novas demarcações.

A futura ministra também comentou que entre os planos para a Funai está “cuidar do índio como um todo”.

“Trazer a mulher indígena para o protagonismo, cuidar do índio com deficiência, nós ainda temos povos que eliminam crianças com deficiência, então, cuidar do índio como um todo”, disse.

mais lidas