Siga nossa Redes

Sem categoria

Reforma administrativa será encaminhada ao Congresso em duas semanas, diz Guedes

Redação

Publicado

em

Reforma administrativa será encaminhada ao Congresso em duas semanas, diz Guedes

Sobre a reforma administrativa e a tributária, o ministro da Economia disse que confia na classe política para definir qual será aprovada primeiro

O ministro da Economia , Paulo Guedes , afirmou na manhã desta quinta-feira (30) que o governo deverá encaminhar em até duas semanas o projeto de reforma administrativa ao Congresso Nacional . O ministro participa ao lado do presidente da Câmara dos Deputados , Rodrigo Maia , de evento que discute a agenda econômica e as reformas de 2020 promovido pelo Centro de Liderança Pública (CLP).

“O presidente Jair Bolsonaro vai mandar a reforma administrativa atendendo pedido do presidente Rodrigo Maia”, disse Guedes . “Qual reforma vai passar primeiro? Eu confio na classe política. O presidente Jair Bolsonaro nunca foi contra a reforma administrativa “.

O ministro afirmou, no entanto, que a reforma será encaminhada com “restrições políticas”, uma vez que o governo não pode atingir os direitos do funcionalismo. “A nós, cabe encaminhar, e o Congresso vai dizer o ritmo que isso será feito. A classe política vai tomar o ritmo da economia. Aqui (no Brasil), o ministro da Economia anda com o saco de dinheiro e todo mundo correndo atrás dele. Mas o dinheiro não é dele”, afirmou.

No debate, o ministro também chegou a dizer que nunca viu um país “ir para o saco” de forma tão organizada, em referência à situação que encontrou ao assumir o comando da economia brasileira em janeiro do ano passado. Guedes ironizou que a maioria dos números da economia são de conhecimento popular em Brasília , como o déficit das contas públicas e as despesas com juros .

“Nunca vi uma país ir para o saco de forma tão organizada. Todo mundo sabe todos os números. Eu quero que o déficit do Brasil seja zero, mas não sei em quanto tempo. Quantas estatais vai vender? Não sei. Prefiro ser aproximadamente certo do que ser totalmente errado”, afirmou.

Durante o debate, Guedes afirmou que espera economizar R$ 100 bilhões no pagamento da dívida graças à queda da taxa de juros. Segundo o ministro, o pagamento anual vai cair de R$ 400 bilhões para R$ 300 bilhões, o necessário para pagar dez vezes o Bolsa-Família.

“Como pagar R$ 400 bilhões de juros da dívida por ano e achar que o país está normal? O Brasil ficou prisioneiro dos juros. Hoje os juros são baixos e podemos afrouxar um pouco a moeda”, disse.

 

 

iG

Publicidade

mais lidas