Alexandre Ramagem integrou a equipe da Agência Brasileira de Inteligência ( Abin ), com cinco membros da polícia federal, parte deles, conhecidos por atuarem na segurança do presidente Jair Bolsonaro em sua campanha eleitoral em 2018. O grupo é apontado por informar a defasa do senador Flávio Bolsonaro sobre o caso das rachadinhas . As informações são do jornal Estado de São Paulo .

 

O delegado Carlos Afonso Golçalves, considerado uma espécie de braço direito do diretor-geral, também teve sua passagem pelo Palácio do Planalto. Na época, ele fazia parte da assessoria especial da Secretaria de Governo, comandada pelo general Carlos Albertos cruz no início do governo Bolsonaro.

 

A Abin ainda conta com dois policiais, que estavam presentes na facada contra o presidente em Juiz de Fora, Minas Gerais. Marcelo Araújo conhecido por expressar suas opiniões políticas e  elogiar os filhos de Bolsonaro em suas redes sociais e o Flávio Antônio Gomes, cotado para assumir a assessoria da Superentendência da Abin em São Paulo.

Outros dois funcionários do presidente ganharam cargos de destaque. O papiloscopista João Paulo Dondelli, que já foi forte candidato para a Presidência da República e Danilo César, assessor especial de Nabhan Garcia, Secretário de Assuntos Fundiários e também personalidade importante para o presidente na área ruralista conquistaram seus postos de confiança no governo.