Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Esportes

Próximo de retorno, promessa do Palmeiras busca motivação em nomes como Veron e Menino

Publicado

em

Próximo de retorno, promessa do Palmeiras busca motivação em nomes como Veron e Menino

Zagueiro Henri, 18 anos, viveu um 2020 de altos e baixos: chance no profissional e lesão no joelho

O zagueiro Henri, do Palmeiras, tem somente 18 anos. Porém, em um 2020 de altos e baixos, ganhou “anos de experiência”.

Depois da promoção ao time titular com Vanderlei Luxemburgo, o capitão da seleção brasileira campeã mundial sub-17 em 2019 acabou afastado por uma lesão de menisco, que o obrigou a passar por uma intervenção cirúrgica. O pior momento, contudo, está próximo do fim.

Já em transição física e próximo de ficar à disposição do Palmeiras, Henri encontra uma motivação especial dentro do próprio clube: o destaque alcançado por jovens como o companheiro de Copa do Mundo Gabriel Veron — e outros, como Gabriel Menino, Patrick de Paula e Danilo.

— É um combustível para todos os atletas da base. Todos nós sonhamos um dia jogar pelo profissional. É para isso que trabalhamos tanto, e ver companheiros de base se firmando na equipe principal dá ânimo e vontade de seguir no melhor caminho para também ter as oportunidades —comentou Henri em conversa com o ge.

O ânimo de Henri se justifica também nos números. A temporada 2020 é a maior no século em relação à presença de jovens oriundos da base entre os profissionais. Foram 11 “crias da Academia” a estrearem pela equipe, tanto com Vanderlei Luxemburgo como com Abel Ferreira. Vislumbrar uma chance a médio prazo gera até certa ansiedade.

— A ansiedade existe não só por isso, mas por voltar a fazer o que mais amo. Mas é algo natural e que tenho que controlar para seguir a recuperação da melhor forma possível — acrescentou Henri, que contrasta essa gana por voltar com a tranquilidade com a recuperação.

— Não crio uma ansiedade excessiva para não atropelar os procedimentos. Sei que estou acompanhado de uma equipe médica muito boa e estamos caminhando passo a passo para voltar na melhor condição possível — sentenciou o jovem, que vem recuperando o lado físico antes de iniciar propriamente o trabalho com Abel Ferreira.

Henri disputa jogada com Zé Rafael, na Academia do Palmeiras, em agosto do ano passado — Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Henri disputa jogada com Zé Rafael, na Academia do Palmeiras, em agosto do ano passado — Foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

Confira mais da conversa com Henri:

 

Esse ano de 2020 foi ao mesmo tempo o melhor e o pior da sua carreira? Melhor por chegar a subir para o profissional e pior pela lesão?

Foi um ano de extremos, realmente. A chegada ao profissional foi algo que me deixou muito feliz, a realização de um sonho. E a lesão foi algo triste, mas é um risco que faz parte da nossa vida, infelizmente. De todas as situações, tento tirar as melhores lições para evoluir, e acredito que em 2021 muitas coisas boas estão por vir.

O Palmeiras tem Gómez, Luan, Empereur, Kuscevic e Emerson Santos para a defesa. Você acredita que seja melhor um empréstimo para já pegar experiência no profissional ou crê que a permanência no sub-20 é o melhor caminho para esse momento da carreira?

O meu sonho era conquistar títulos na base do Palmeiras e chegar ao profissional, e isso aconteceu. Sei que o elenco é muito qualificado, com excelentes jogadores, mas trabalho todo dia para evoluir e buscar meu espaço.

Henri foi o capitão da seleção sub-17 campeã mundial em 2019 — Foto: Alexandre Loureiro/ CBF

Henri foi o capitão da seleção sub-17 campeã mundial em 2019 — Foto: Alexandre Loureiro/ CBF

.

.

.

GE – Globo Esporte.

mais lidas