Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Dia a Dia

Professor e alunos levam churrasqueira e queimam máscaras em escola na Zona Sul de SP após fim da obrigatoriedade

Publicado

em

Governo enviou 300 servidores para ajudar em buscas no Amazonas

Um professor de uma escola estadual na Zona Sul de São Paulo levou, na sexta-feira (18), uma churrasqueira para a sala de aula para queimar as máscaras contra a disseminação da Covid, que deixaram de ser obrigatórias no estado na última quinta-feira (17).

Um estudante da Escola Estadual Francisco de Paula Vicente de Azevedo, no Jardim Ângela, registrou com entusiasmo o momento em que o professor incendiou a primeira máscara e a jogou junto às demais na churrasqueira portátil. A gravação tem cerca de dois minutos.

“- Alguém filma! Alguém filma!
– Já está filmando.
– Vai professor! “, diz um trecho

O vídeo ainda mostra o professor tirando foto ao lado do fogo. O professor foi advertido e, segundo a Secretaria da Educação, já recebeu pedido da Diretoria Regional de Ensino para o afastamento do profissional de sala de aula.

A escola chamou os pais dos alunos que aparecem no vídeo para uma reunião na próxima segunda-feira (21).

O sindicato dos professores do estado (Apeosp) divulgou uma nota repudiando a atitude do professor. A entidade afirmou que as crianças foram incentivadas a queimar as máscaras.

A Secretaria da Educação também afirmou que repudia qualquer ato que coloque em risco a segurança dos alunos e lamentou o corrido.

De acordo com a regra estadual, o uso de máscaras seguirá obrigatório apenas em serviços de saúde e no transporte público. Na capital paulista, o uso ainda é obrigatório também em táxis, carros de aplicativo e ônibus rodoviário. Além disso, segundo normas da Anvisa, a proteção também continua necessária em aeroportos e aviões.

Parte das escolas e universidades de São Paulo decidiu manter a exigência do uso de máscara, mesmo após o fim da obrigatoriedade. Segundo advogados ouvidos pelo g1, alguns estabelecimentos ainda podem exigir o uso da proteção, por período determinado.

Nota da Seduc-SP

“A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) repudia qualquer ato que coloque em risco a segurança dos alunos, lamenta o ocorrido e informa que está apurando o caso para que todas as medidas cabíveis sejam tomadas.

“Assim que tomou conhecimento, a direção da escola advertiu o professor e a Diretoria de Ensino está pedindo o afastamento do professor das atividades docentes a partir de segunda-feira.

“O caso foi registrado no Placon, plataforma que monitora as ocorrências e o dia a dia escolar, e a equipe gestora fará junto ao Conviva um trabalho de conscientização com os professores e estudantes sobre o ocorrido. Os responsáveis dos alunos que estavam com o professor em sala de aula também foram chamados pela unidade escolar para uma reunião na segunda-feira.”

Nota do sindicato

 

“A Apeoesp Santo Amaro, sindicato das professoras e professores vem através desta nota repudiar com veemência a atitude de um professor de uma escola pública estadual localizada na Zona Sul. No vídeo recebido pelo sindicato crianças são incentivadas a queimarem máscaras jogando-as dentro de uma churrasqueira. Máscaras salvam vidas, fazem parte de protocolo de proteção. Achamos, inclusive que o Governo do estado erra ao liberar o uso de máscaras nas escolas. Pediremos a apuração dos fatos a Gestão da escola, Diretoria de Ensino e SEDUC.”

.

 

.

 

.

G1

mais lidas