Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Economia

Produção em regime de partilha aumenta com entrada do Campo de Búzios

Publicado

em

Produção em regime de partilha aumenta com entrada do Campo de Búzios

Total da partilha alcançou 431 mil barris de petróleo por dia

O início da produção dos volumes excedentes da cessão onerosa do Campo de Búzios levou ao crescimento na produção em regime de partilha em setembro, informou a Pré-sal Petróleo (PPSA). A produção média dos contratos de Mero, Búzios, Sapinhoá e Tartaruga Verde Sudoeste chegou a 431 mil barris de petróleo dia (bpd). A União passa a contar com 5,9 mil barris diários de produção de óleo naquela área. Segundo a PPSA, desde novembro de 2017, quando começou a série histórica da partilha, o pico de produção média diária de petróleo havia sido de 65 mil bpd, volume agora superado em 563%.

A maior parte do volume de setembro se refere a Búzios. Do total, 418 mil bpd são deste campo, 8 mil bpd de Entorno de Sapinhoá e 5 mil bpd de Tartaruga Verde Sudoeste. A Área de Desenvolvimento de Mero não produziu em setembro, por causa do encerramento do primeiro Sistema de Produção Antecipada 1 (SPA-1) e da mudança de locação da unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo e gás (FPSO, em inglês, floating production storage and offloading) Pioneiro de Libra para iniciar o SPA-2 durante o quarto trimestre de 2021.

Ainda conforme a PPSA, o Campo de Búzios conta com quatro navios-plataforma em produção (P-74, P-75, P-76 e P-77), 18 poços produtores em operação e é regido por um acordo de coparticipação, que definiu um percentual da produção de 26,1205% para o contrato de cessão onerosa e de 73,8795% para o contrato de partilha de produção.Produção em regime de partilha aumenta com entrada do Campo de BúziosProdução em regime de partilha aumenta com entrada do Campo de Búzios

A Petrobras é a operadora da produção na partilha, junto com as sócias CNODC Brasil (5%) e a CNOOC Petroleum (10%). À produção de 5,9 mil bpd por dia referente ao Campo de Búzios, a que a União passou a ter direito em setembro, soma-se o montante 5,4 mil bpd referente ao contrato do Entorno de Sapinhoá, totalizando 11,3 mil bpd para a União.

Também com a entrada de Búzios, a produção acumulada em regime de partilha de produção alcançou 71,2 milhões de barris de petróleo, o que significa 22,5% a mais do que o valor acumulado em agosto de 2021. “A parcela acumulada do excedente em óleo da União passou a 10,5 milhões de barris de petróleo”, completou a empresa.

Gás natural

A produção de gás natural em regime de partilha de produção também teve impacto em setembro. No total, teve média diária de 875 mil m³/dia (metros cúbicos por dia) nos três contratos com aproveitamento comercial do gás natural. Desse valor, 706,8 mil m³/dia foi em Búzios, 130,6 mil m³/dia em Entorno de Sapinhoá e 37,9 mil m³/dia em Tartaruga Verde Sudoeste. Se comparado ao mês anterior, o volume de gás disponível cresceu 400%.

A média diária do total do excedente em gás natural ficou em 101 mil m³/dia. Nela, 10 mil m³/dia é resultado da produção de Búzios e 91 mil m³/dia estão ligados ao Entorno de Sapinhoá.

A PPSA informou que, desde 2017, a produção acumulada é de 290 milhões de m³ de gás natural com aproveitamento comercial. No mesmo período, a produção acumulada da União em gás natural é de 90,7 milhões de m³.

.

.

.

.

.

Agência Brasil

mais lidas