Siga nossa Redes

Sem categoria

Primata diagnosticada com diabetes recebe cuidados especiais no zoo de Sorocaba

Redação

Publicado

em

Primata diagnosticada com diabetes recebe cuidados especiais no zoo de Sorocaba

Mel, de 30 anos, recebe doses de insulina, assim como o paciente diabético humano. Alimentação é composta por frutas com pouca concentração de açúcar, folhas e vegetais.

Uma primata de 30 anos está fazendo um tratamento com insulina para combater a diabetes no Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros”, em Sorocaba (SP).

Os animais que vivem no zoo passam por um check-up, anual ou semestral – dependendo da espécie -, onde são coletadas fezes, urina e sangue para exames. Em um desses check-ups, há 10 anos, Mel foi diagnosticada com diabetes.

Desde então, ela vem recebendo o tratamento com insulina, assim como o paciente diabético humano.

Bióloga Cecília Pessutti, do zoo de Sorocaba, explica sobre o tratamento da primata (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

Bióloga Cecília Pessutti, do zoo de Sorocaba, explica sobre o tratamento da primata (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

A bióloga e chefe de seção de biologia e veterinária do zoo, Cecília Pessutti, explica que, para fazer o tratamento de forma não invasiva, Mel foi treinada para receber a injeção e seguir com uma vida normal. Atualmente, a primata – que chegou ao zoológico em 2002 – vive sozinha no recinto.

“Ela foi treinada para mostrar a área que vai receber a injeção. Os veterinários podem fazer a aplicação subcutânea de forma bastante segura e, na sequência, a Mel recebe uma recompensa. Pode ser uma fruta, uma folha que ela goste bastante, como a de hibisco, ou alguma outro alimento que trabalha a questão da associação”, conta a bióloga.

Primata foi treinada para receber as injeções de insulina no zoo de Sorocaba (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

Primata foi treinada para receber as injeções de insulina no zoo de Sorocaba (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

Dieta diferenciada

Além da dose de insulina, a primata tem uma dieta diferenciada, composta por frutas com pouca concentração de açúcar, como mamão, melão e goiaba, vegetais e folhas, como escarola e couve, por exemplo. Os alimentos são oferecidos em pequenas quantidades e distribuídos ao longo do dia.

“A Mel é monitorada constantemente e, de tempos em tempos, é feita a curva glicêmica completa. O procedimento é semelhante ao feito em seres humanos. A cada duas horas faz uma picadinha no dedo ou em outra região vascularizada e coloca a amostra no aparelho”, explica Cecília.

Ainda segundo a bióloga, a doença não é incomum entre os primatas. Entretanto, sem tratamento, pode ter consequências como paralisia e convulsões, podendo até mesmo levar a óbito.

“Não é raro [doença], o que pode acontecer é que não é diagnosticado quando o animal está na natureza. É uma doença que acontece de fato, mas não é uma situação incomum entre primatas”, finaliza Cecília.

Dieta é composta por frutas com pouca concentração de açúcar, folhas e vegetais (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

Dieta é composta por frutas com pouca concentração de açúcar, folhas e vegetais (Foto: Prefeitura de Sorocaba/Divulgação)

mais lidas