Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Polícia diz que pai jogou bebê na parede irritado com choro

Publicado

em

Polícia diz que pai jogou bebê na parede irritado com choro

Casal é preso por morte do filho de 3 meses em Caxias; choro teria irritado o pai

 

Os pais de um bebê de 3 meses foram presos em flagrante pela morte da criança, nesta quarta-feira, em Xerém, Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. O crime aconteceu na noite da última terça-feira.

Segundo a polícia, Leandro Júnior da Trindade Marques, de 20 anos, estava com o pequeno Gabriel Henrique da Trindade dos Santos na sala, enquanto a mãe do menino dava banho em outra criança. O choro do bebê teria irritado Leandro, que jogou o próprio filho contra a parede.

A criança continuou chorando, mas o casal decidiu não socorrê-la. Horas depois, na manhã desta quarta-feira, o bebê estava morto.

O choro do bebê teria irritado Leandro que jogou o próprio filho contra a parede

O choro do bebê teria irritado Leandro que jogou o próprio filho contra a parede Foto: Cléber Júnior / Extra

O casal acionou a PM, alegando Gabriel havia amanhecido morto. Inicialmente, o caso foi registrado na 61ª DP (Xerém). Mas, devido às contradições do casal, a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) foi acionada:

— Ele dizia que a criança caiu da cama, depois que foi jogada para o alto e caiu. O perito constatou que criança estava com uma fratura na cabeça e hematomas nas costas e nas nádegas. Eles só confessaram aqui, mas não demonstraram arrependimento em momento algum — afirmou o delegado Willians Batista.

Na delegacia, o casal, que estava junto há aproximadamente um ano, afirmou também que Leandro já havia batido no bebê outras vezes. A mãe vai responder por homicídio. Já Leandro, por homicídio triplamente qualificado, por motivo torpe, meio cruel e impossibilidade de defesa da vítima.

Os três estavam passando uns dias na casa da mãe de Leandro, mas moravam em Magé. O pedreiro Wilson José dos Santos, de 52 anos, avô paterno da criança, morava com eles e disse que nunca viu nenhuma atitude de agressão por parte do casal:

— Eles foram passar uns dias em Xerém e voltariam na segunda, mas estavam sem dinheiro de passagem. Depois, soube do que aconteceu. Fiquei desesperado. Não sei como isso foi acontecer. Eu sempre vi ele tratando bem o filho.

O corpo do bebê está no IML de Duque de Caxias. Sirlene de Aguiar Bittencourt, tia da criança, disse que a família não tem condições financeiras de realizar o sepultamento:

— Não sabemos como vai ser. Está em torno de R$ 1,5 mil. A gente não tem esse dinheiro.

O caso aconteceu em Xerem, em Duque de Caxias

 

mais lidas