Siga nossa Redes

Destaque

Palmeiras vai jogar sua quinta final de Libertadores; relembre as outras decisões

esportes

Publicado

em

Palmeiras vai jogar sua quinta final de Libertadores; relembre as outras decisões

Verdão elimina River na semi e tenta bicampeonato – time venceu em 1999

A classificação diante do River Plate nesta terça-feira, no Allianz Parque, leva o Palmeiras à sua quinta final de Copa Libertadores. Comandado por Abel Ferreira, o Verdão inclusive, será campeão invicto caso passe pelo vencedor de Santos x Boca Juniors na decisão em jogo único, dia 30 de janeiro, às 17h, no Maracanã.

Nas outras quatro finais, o Palmeiras conquistou um título, em 1999, e foi vice três vezes – 1961, 1968 e 2000. O Verdão volta, portanto, a uma decisão de Libertadores depois de quase 21 anos.

Relembre abaixo as finais de Libertadores do Verdão:

1961

 

Na segunda edição do torneio continental, o Palmeiras entrou na disputa graças ao título da Taça Brasil no ano anterior – o primeiro dos dez campeonatos nacionais conquistados pelo clube. Treinado pelo argentino Armando Renganeschi, o Verdão eliminou o também argentino Independiente na primeira fase (já quartas de final), o Independiente Santa Fe, da Colômbia, nas semifinais, e chegou à final com o Peñarol, do Uruguai.

No jogo de ida, em Montevidéu, vitória do Peñarol por 1 a 0, gol de Spencer. Na volta, no Pacaembu, Sacia abriu o placar para os uruguaios logo aos dois minutos. Nardo ainda empatou no segundo tempo, mas o 1 a 1 foi insuficiente para o título.

1968

 

Já com a base da “Academia”, sob regência de Dudu e Ademir da Guia, o Palmeiras teve três técnicos no torneio – começou com Mário Travaglini, teve Julinho Botelho com dois jogos e foi comandado na reta final pelo argentino Alfredo González.

Após passar por Náutico, Deportivo Portugues e Galicia (estes dois últimos da Venezuela) na primeira fase, o Verdão eliminou Guaraní do Paraguai e Universidad Católica na segunda fase, tirou o Peñarol nas semifinais e teve três duelos contra o Estudiantes, da Argentina, na decisão.

Pai de Juan Sebastian Verón, ex-meio-campista da seleção, o meia Juan Ramón Verón – ou La Bruja – fez gols nas três partidas. Os argentinos venceram por 2 a 1, em La Plata, e o Verdão devolveu com um 3 a 1 no Pacaembu. Como o saldo de gols não valia como desempate, uma partida extra foi disputada em campo neutro. No Centenário, em Montevidéu, Ribaudo e Verón definiram o 2 a 0.

Palmeiras e Estudiantes fizeram final da Libertadores de 1968 — Foto: Arquivo/Estadão Conteúdo

Palmeiras e Estudiantes fizeram final da Libertadores de 1968 — Foto: Arquivo/Estadão Conteúdo

1999

 

Luiz Felipe Scolari e seus comandados ajudaram o Palmeiras a, enfim, atingir a glória máxima no continente. Em 16 de junho de 1999, o Verdão fez 2 a 1 no Deportivo Cali, no Palestra Italia, levou a partida aos pênaltis e comemorou o título após o erro do colombiano Zapata na última cobrança.

Antes disso, o Verdão havia passado pela primeira fase num grupo com Corinthians, Olimpia e Cerro Porteño. Depois, desbancou o Vasco, que defendia o título, nas oitavas de final. Nas quartas, duas batalhas épicas com o rival Corinthians que terminaram com Marcos defendendo dois pênaltis na disputa final.

Nas semifinais, o River Plate, com resultado semelhante ao atual: após derrota por 1 a 0 na Argentina, o Verdão contou com show de Alex para fazer 3 a 0 no Palestra e ir à decisão.

Melhores momentos de Palmeiras 2 (4) x (3) 1 Deportivo Cali pela final da Taça Libertadores de 1999

Melhores momentos de Palmeiras 2 (4) x (3) 1 Deportivo Cali pela final da Taça Libertadores de 1999

2000

 

O Palmeiras chegou à sua última final de Libertadores (até esta terça) de maneira épica: eliminando o Corinthians mais uma vez, agora nas semifinais, vencendo de virada no tempo normal e também nos pênaltis, com Marcos pegando cobrança de Marcelinho Carioca e entrando para a história.

Antes, o Verdão havia passado por um grupo com Juventude, The Strongest e El Nacional. Depois, superou Peñarol nas oitavas e Atlas, do México, nas quartas.

Na final, dois empates com o Boca Juniors: 2 x 2 e 0 x 0. Nos pênaltis, porém, a maré virou para o lado argentino. Asprilla e Roque Júnior erraram, e os Xeneizes levantaram a taça no Morumbi.

Em 2000, Boca Juniors vence Palmeiras no pênaltis e é campeão da Libertadores

Em 2000, Boca Juniors vence Palmeiras no pênaltis e é campeão da Libertadores

 

.

.

.

GE – Globo Esporte.

Publicidade

mais lidas