Siga nossa Redes

Geral

Os pets pedem socorro

Redação

Publicado

em

Os pets pedem socorro

ONGs e iniciativa privada se unem para conseguir um lar pra animais abandonados

Andressa Zafalon

 

Todo animalzinho precisa de um lar. Nos dias de hoje, cada vez mais, eles são personagens presentes na nossa intimidade e sociedade. No entanto, tem havido um aumento exponencial no número de animais abandonados que está superlotando ONGs especializadas em tratamento e encaminhamento dos bichinhos.

No Brasil, segundo um levantamento do Instituto Pet Brasil feito em 2019, mais de 170 mil animais estão sob os cuidados de 370 ONGs e grupos que atuam na área de proteção animal em todo o país.

As ONGs estão cada vez mais super lotadas e sem verba para conseguir manter os animais amparados, é o que conta Patrícia Rodrigues, Relações Públicas da ONG Pits Ales:“Os cães resgatados pelo Pits Ales ficam em clínicas/hotéis particulares. Trabalhamos com um número limite de vagas que hoje encontram-se totalmente ocupadas e a demanda está realmente enorme . Os pedidos de resgate aumentaram muito e as doações diminuíram consideravelmente. Muitas pessoas entram em contato querendo entregar seus próprios cães por não terem mais condições financeiras de mantê-los.”

Mas, o que fazer? Por onde começar a ajudar?

Enxergando essa realidade das ONGs congestionadas, aliada a uma boa dose de amor pelos animais, algumas pessoas vêm tendo a iniciativa de ajudar conforme podem, ou seja, por si só,tentam divulgar animais perdidos para que encontrem o dono ou, o mais comum, divulgam animais abandonados para que encontrem um novo lar. É o caso do perfil do instagam @amorquenaosemede_sp, criado por Andréa Braga.Ciente da situação de desespero das ONGs e, também, do aumento no número de abandono de animais durante a quarentena, resolveu agir por si própria, mas, claro, contando com a ajuda de pessoas mais próximas. “Sempre quis ajudar os bichos, isso há muitos anos, mas eu achava que a única maneira de ajudar era tendo um espaço onde eu pudesse adotar todos e cuidar deles alí. Com o tempo e sem ter condições de ter meu espaço por agora –isso é um projeto –eu enxerguei nas redes sociais a possibilidade de ajudar de alguma forma, por isso, criei o instagram @amorquenaosemede_sp, que tem como objetivo ajudar pessoas comuns, como eu e você”.

Para Andréa, as ONGs precisam “respirar” pra poder ter condições de cuidar de, pelo menos, aqueles que já estão lá. “Comecei a perceber que as ONGs postavam frequentemente em suas redes sociais mensagens desesperadoras de pedidos de ajuda e de doações e, com isso, fui interagindo cada vez mais com elas e passei a receber muitas mensagens particulares. Foi quando decidi fazer um perfil para centralizar todos esses pedidos, daí nasceu o @amorquenaosemede_sp. O objetivo é facilitar a interação entre quem acha um animalzinho e aquelas pessoas que estão procurando um pet para adotar. Tudo junto num só lugar.”

Andréa ainda concluiu dizendo que existem casos em que as pessoas adotam um bichinho quando bebê e, quando crescem, passam a abandoná-los porque geram gastos. “Quando acolhemos um animal que foi abandonado ou maltratado, temos que ter consciência de que os gastos são inevitáveis. Gasta-se com veterinário, remédios, banho, tosa, comida, água.”

Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais, passou recentemente a ser crime previsto pela Lei Federal n° 14.064/20 que alterou a Lei n° 9.605/98. Com isso, a pena pode chegar de 2 a 5 anos de reclusão, multa e proibição de guarda de novos bichos.

Serviço:

Instragram: @amorquenaosemede_sp e @pitsales99

Publicidade

mais lidas