Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Mundo

ONG pede investigação sobre crimes de guerra no Afeganistão

Publicado

em

ONG pede investigação sobre crimes de guerra no Afeganistão

Pedido foi feito pela secretária-geral da organização, Agnés Callamard

A Amnistia Internacional (AI) pediu hoje (15) uma investigação sobre crimes de guerra cometidos pelos talibãs e a morte de civis pelas forças de segurança afegãs e tropas norte-americanas, sobretudo durante os combates antes da queda de Cabul.ONG pede investigação sobre crimes de guerra no AfeganistãoONG pede investigação sobre crimes de guerra no Afeganistão

“Os meses que antecederam o colapso do governo de Cabul (15 de agosto de 2021) estiveram marcados por repetidos crimes de guerra e um constante derramamento de sangue cometidos pelos talibãs, assim como por mortes causadas pelas forças afegãs e norte-americanas”, disse a secretária-geral da Amnistia Internacional (AI), Agnés Callamard, em comunicado.

A organização de defesa dos direitos humanos, com sede em Londres, diz, em relatório, que “à medida que os fundamentalistas (talibãs) foram assumindo o controle do país, torturaram e mataram membros de minorias étnicas e religiosas, antigos membros das forças de segurança e simpatizantes do governo afegão”.

A AI informa que no dia 6 de setembro (após a queda de Cabul), os talibãs capturaram e mantiveram em cativeiro durante dois dias cerca de 20 homens, numa ofensiva na província de Panjashir, sem qualquer tipo de assistência, alimentos ou água.

De acordo com a organização, seis pessoas foram executadas pelos talibãs no mesmo dia, durante confronto para capturar antigos colaboradores do governo deposto.

As testemunhas que falaram à Amnistia Internacional disseram que as pessoas abatidas no local não eram membros das forças de segurança afegãs.

O comunicado cita ainda os acontecimentos do dia 29 de agosto, quando ocorreu um ataque com drones, feito pelos Estados Unidos e que matou dez pessoas, incluindo sete crianças, em Cabul.

Mais 12 pessoas morreram e 15 ficaram feridas em consequência de oito tiros dados pelo Exército Nacional Afegão, no mesmo dia, também na capital.

O uso de armas de combate em áreas povoadas por civis é “indiscriminado” e pode constituir “crime de guerra”, acusa a Amnistia Internacional.

A secretária-geral da organização pediu que o Tribunal Penal Internacional investigue os atos cometidos pelos militares dos Estados Unidos e do Afeganistão “para que sejam apurados possíveis crimes de guerra”.

“O povo afegão já sofreu demasiado, e as vítimas devem ter acesso à Justiça e receber indenizações”, disse Agnés Callamard.

A organização pede aos talibãs e aos Estados Unidos que cumpram as obrigações e estabeleçam mecanismos claros e sólidos para que os civis possam solicitar ajudas pelos danos sofridos durante o conflito.

“As autoridades talibãs têm agora a mesma obrigação legal de proporcionar reparações e devem abordar com seriedade todas as questões relacionadas com danos a civis”, concluiu Callamard.

.

.

.

.

RTP

mais lidas