Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

MPF pede que chefe da Secom seja investigado por corrupção e peculato

Publicado

em

MPF pede que chefe da Secom seja investigado por corrupção e peculato

Polícia Federal deve abrir inquérito criminal para apurar acusações feitas contra Fabio Wajngarten

Edição: Marina Roveda – Diário de São Paulo

 

Ministério Público Federal em Brasília pediu à Polícia Federal nesta segunda-feira (27) a abertura de inquérito criminal para investigar o chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom)Fabio Wajngarten.

A investigação visa apurar apurar supostas práticas de corrupção passiva , peculato (desvio de recursos públicos feito por funcionário público, para proveito pessoal ou alheio) e advocacia administrativa (patrocínio de interesses privados na administração pública, valendo-se da condição de servidor).

O pedido do MPF ocorre após uma série de reportagens da Folha de S. Paulo que indicam Wajngarten como sócio majoritário da Fw Comunicação , que recebe dinheiro de emissoras de TV (entre elas Record e Band ) e de agências de publicidade contratadas pela própria Secom e outros órgãos do governo de Jair Bolsonaro .

Privilégios

De acordo com o jornal, o secretário estaria privilegiando as empresas com a qual a FW Comunicação tem contrato. O caso correrá em sigilo. As penas previstas para os crimes de corrupção passiva e peculato variam de 2 a 12 anos de prisão, além de multa. No caso do crime de advocacia administrativa , aplica-se detenção de um mês a um ano.

Procurado na segunda-feira, Wajngarten não se manifestou. Ele tem negado irregularidades. A legislação vigente proíbe integrantes da cúpula do governo de manter negócios com pessoas físicas ou jurídicas que possam ser afetadas por suas decisões. A prática implica conflito de interesse s e pode configurar ato de improbidade administrativa , se demonstrado o benefício indevido.

mais lidas