Polícia

Mortes de motociclistas nas marginais Tietê e Pinheiros crescem 20%

Redação
Escrito por Redação

Número subiu para 18 no mesmo período deste ano. Para PM, aumento está relacionado ao crescimento de motociclistas atuando como entregadores durante a pandemia.

O número de motociclistas mortos em acidentes nas marginais Tietê e Pinheiros cresceu 20% entre janeiro e setembro deste ano em comparação com o mesmo período de 2019.

A alta foi de 15 para 18 mortes. É o que apontam os dados tabulados pelo CPTran (Comando de Policiamento de Trânsito) e o Infosiga, base de dados do governo do estado. Os números foram obtidos com exclusividade pela GloboNews.

Em toda a cidade de São Paulo, no mesmo comparativo, a quantidade de motociclistas mortos aumentou 2% em 2020: de 203 para 208.

Mortes de motociclistas nas marginais Tietê e Pinheiros

Entre janeiro e setembro

  • 2019: 15 mortes
  • 2020: 18 mortes
    Aumento de 20%

Mortes de motociclistas na cidade de SP

Entre janeiro e setembro

  • 2019: 203 mortes
  • 2020: 208 mortes
    Aumento de 2%

Fiscalização

Mais de 100 policiais militares do CPTran participam nesta terça-feira (27) de uma megaoperação de fiscalização em sete pontos diferentes das duas marginais.

O objetivo é intensificar a fiscalização das motocicletas e de seus ocupantes, a fim de garantir o cumprimento de normas relacionadas à segurança previstas no Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Na avaliação do major Marcos Cunha, porta-voz do CPTran, a alta das mortes nas marginais Tietê e Pinheiros, as vias mais movimentadas da maior cidade do país, pode estar relacionada ao trânsito menos intenso registrado desde o início da pandemia do novo coronavírus, declarada no dia 11 de março pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Chegamos a ter meses com 40% de veículos a menos nas marginais em relação ao movimento do ano passado. Isso pode estimulado alguns motociclistas a conduzirem em velocidade maior durante essa quarentena”, explica o oficial da Polícia Militar.

De acordo com ele, a maior quantidade de motociclistas atuando como entregadores, dada a grande demanda por serviços de delivery durante a pandemia, também pode ser um dos fatores por trás desse aumento das mortes de motociclistas neste ano.

Histórico

Além do aumento das mortes, uma preocupação do CPTran em relação aos motociclistas é a participação desse grupo nos universos de óbitos e acidentes em geral contabilizados ao longo deste ano nas marginais.

De acordo com números do Infosiga tabulados pelo CPTran, entre janeiro e setembro deste ano, dos 927 acidentes de trânsito com vítimas nas marginais, ou seja, com 1 ou mais pessoas feridas, 652 (70%) envolveram motocicletas. E das 31 mortes em acidentes contabilizadas no mesmo período, 18 (58%) foram de motociclistas.

“De cada 10 óbitos, 6 envolvem motociclistas e de cada 10 acidentes, praticamente 7 envolvem motociclistas”, explica o major Cunha.

Por G1 São Paulo

Sobre o autor

Redação

Redação

%d blogueiros gostam disto: