Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Moro quer federalizar caso Marielle para proteger clã Bolsonaro, diz Freixo

Publicado

em

Moro quer federalizar caso Marielle para proteger clã Bolsonaro, diz Freixo

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) disse que o ministro da Justiça, Sergio Moro, passou a defender a federalização do caso Marielle para a “proteção dos interesses privados” do presidente Jair Bolsonaro.

“Quando a família do presidente começa a ser investigada, ele [Moro] quer federalizar. Me parece que ele não está preocupado com a família da vítima”, afirmou Freixo, em entrevista ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”. O deputado disse que o ministro da Justiça nunca telefonou para os familiares de Marielle.

A Polícia Civil do Rio considera a possibilidade de envolvimento do vereador Carlos Bolsonaro no caso Marielle. A polícia investiga a relação de Carlos Bolsonaro com Ronnie Lessa, matador conhecido no Rio acusado de ser o assassino de Marielle.

Segundo Freixo, Moro se comporta “muitas vezes como advogado do presidente Bolsonaro e não como ministro da Justiça”. O deputado afirmou que Moro defende a federalização sem razão técnica e que tenta transformar uma testemunha, o porteiro que citou o nome de Bolsonaro, em réu.

Freixo disse que a atitude do ministro é algo “sem precedente na história da República”. Ele declarou ser “péssimo” para a investigação do crime a tentativa de federalizar um caso em andamento. Ele lembrou que a polícia prendeu os dois acusados de assassinar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes.

Ao comentar a notícia de que o filho Carlos é investigado, o presidente disse que a esquerda tentava politizar o caso e que o governador do Rio, Wilson Witzel, também agia nesse sentido.

Freixo rebateu Bolsonaro. Afirmou que o presidente reagiu como um pai que vê o filho sendo investigado por um homicídio, mas deveria se lembrar de que é presidente da República antes de dar declarações com acusações que ele entende serem infundadas contra a esquerda e Witzel.

O deputado também reagiu a uma crítica semelhante de Moro: “Quem politiza esse caso é o próprio ministro Sergio Moro”. Ele ressaltou que o porteiro é uma pessoa humilde, vive em área de milícia e está sofrendo pressão com uma investigação da Polícia Federal. Declarou que o Ministério da Justiça e a PF “não pertencem aos interesses privados do presidente”.

Possível candidato à Prefeitura do Rio no ano que vem, Freixo disse que só se lançará nessa empreitada se for viabilizada uma ampla aliança, que conte com o apoio do PT e de outros partidos. “O meu nome só será colocado diante de uma frente ampla, que, no meu entendimento, é muito necessária para a defesa da democracia brasileira hoje”.

 

Por iG

mais lidas