Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Moro diz que indicação ao STF seria caminho ‘natural’ para sua carreira

Publicado

em

Moro diz que indicação ao STF seria caminho 'natural' para sua carreira

Após fritura com rumores de divisão de seu ministério, o ex-juiz da Lava-Jato afirmou não ter motivo para deixar governo e rechaçou candidatura em 2022

 

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro , afirmou nesta segunda-feira ser ” natural ” sua indicação ao Supremo Tribunal Federal ( STF ) após a aposentadoria do ministro Celso de Mello. Decano da Corte, o magistrado será o primeiro a se aposentar no mandato de Jair Bolsonaro, em novembro deste ano, quando completará 75 anos e terá de deixar o cargo.

“Eu não gosto de discutir vaga quando a vaga não existe. É um negócio meio esquisito. Parece que estou aposentando o ministro antes dele se aposentar. Acho que é uma perspectiva que pode ser interessante e natural na minha carreira. Eu venho da magistratura, né? Mas a escolha evidentemente cabe ao presidente da República”, declarou Moro , em entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan.

O ministro de Bolsonaro, no entanto, disse que há alternativas ao seu nome, como o advogado-geral da União (AGU), André Mendonça, e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República , Jorge Oliveira . “Mas também há outros nomes e acho que o presidente só vai fazer essa escolha no momento apropriado. Mas dizer, assim, que eu não gostaria? Claro (que gostaria)”, afirmou.

Sergio Moro foi questionado sobre a fritura a que foi submetido na semana passada, quando o presidente Bolsonaro revelou ser possível o desmembramento de seu ministério em dois: o da Justiça, que permaneceria sob o seu comando, e o da Segurança Pública, tal como era no governo de Michel Temer. Cogitado como possível ministro da recriação desta pasta, o ex-deputado Alberto Fraga aproveitou a exposição dada pela imprensa para criticar o trabalho feito por Moro.

Para o ex-juiz da Lava-Jato , o episódio está encerrado após o próprio presidente ter colocado panos quentes no assunto, na última sexta-feira. Ao chegar à Índia para uma agenda oficial, Bolsonaro afirmou que “a chance de dividir (o ministério) no momento é zero”, mas deixou uma brecha para uma futura divisão ao dizer que “não sei amanhã, na política as coisas mudam”. Moro disse que não tem motivo para deixar o governo e rechaçou uma eventual intenção de disputar a presidência em 2022.

“Tem muita gente querendo enfraquecer o governo, me tirando de fora do governo e gerando essas intrigas eleitorais. Não vim aqui para plataforma eleitoral. Primeiro a gente tem que discutir o país aqui agora. A gente tem toda uma agenda a ser realizada no mandato do presidente Bolsonaro até 2022. Ele se colocou como candidato à reeleição e eu, como ministro do governo, tenho que apoiá-lo. Não tem outra alternativa”.

 

 

 

 

iG

mais lidas