Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Dia a Dia

Medo de contrair Covid-19 e morrer aumenta entre jovens e adolescentes em SP em relação a 2020, diz pesquisa

Publicado

em

Medo de contrair Covid-19 e morrer aumenta entre jovens e adolescentes em SP em relação a 2020, diz pesquisa

Asmática, jovem da Zona Sul de SP não sai de casa há meses com medo de ser infectada.

pandemia de Covid-19 mudou drasticamente a rotina da Tainara Almeida, de 22 anos, moradora do Grajaú, no extremo da Zona Sul de São Paulo. Acostumada a sair logo cedo e só retornar no fim da noite, agora, a jovem passa o dia trancafiada em casa. Asmática, ela não sai de casa há seis meses com medo de contrair o novo coronavírus.

“Eu não faço nada fora de casa, eu compro no mercado tudo por aplicativo porque tenho muito medo. Eu sou asmática e sei muito bem o que é ficar sem ar”, disse.

 

Em home office desde o início da pandemia, a engenheira de software também estuda pelo computador e dá aulas virtuais em uma Organização não Governamental (ONG) que ensina tecnologia para jovens da periferia. A última vez que saiu de casa foi no dia 3 de dezembro para ir ao médico e passar no trabalho.

O medo da contaminação fez com que ela redobrasse os cuidados e rotina de higiene após o aumento do número de casos confirmados da doença e mortes em todo o país.

“Saio de casa só para colocar o lixo para fora e saio com as luvas e com a máscara, tenho um sapato para colocar o lixo na rua e tenho um sapato para ficar em casa. Lavo duas, três, vezes a mão ao pegar alguma coisa que não foi esterilizada. Dinheiro só pego com luva. Estou tomando três vezes mais cuidado do que no começo [da pandemia].”

A jovem conta que o medo de ser infectada aumentou muito em relação ao início da pandemia, em março de 2020.

“Eu perdi alguns tios, primos, eu perdi amigos. Agora o medo está maior porque a vacina não vem, mesmo sendo asmática eu não consegui tomar a vacina porque minha asma é considerada leve”, argumentou.

 

Assim como o caso de Tainara, também aumentou o medo entre jovens e adolescentes de contraírem a Covid-19 ou morrerem devido às complicações da doença no estado de São Paulo. É o que aponta um levantamento realizado pela Espro (Ensino Social Profissionalizante).

A pesquisa mostra que 89% dos entrevistados têm preocupação alta ou muito alta de ficar doentes. Em abril de 2020, data em que foi realizada a primeira pesquisa, o índice era de 83%, e de 82% em novembro do ano passado, quando foi feita a segunda etapa do levantamento.

O temor dos jovens cresceu à medida que o perfil das vítimas fatais de Covid deixou de ser prioritariamente de idosos.

“Depois que os idosos começaram a ser vacinar e a gente viu pessoas novas que não tinham tomado a vacina morrendo eu me desesperei porque eu sei que sou asmática, mas tem pessoas que não são e estão morrendo”, contou.

Tainara Almeida, em isolamento devido à pandemia, na última vez que saiu de casa para passar no trabalho em 3 de dezembro de 2020 — Foto: Divulgação
Tainara Almeida, em isolamento devido à pandemia, na última vez que saiu de casa para passar no trabalho em 3 de dezembro de 2020 — Foto: Divulgação

.

.

.

G1

mais lidas