Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Justiça de SP decide despejar Naji Nahas de mansão de R$ 50 milhões onde humorista imitou Bolsonaro e outros políticos em jantar

Publicado

em

Justiça de SP decide despejar Naji Nahas de mansão de R$ 50 milhões onde humorista imitou Bolsonaro e outros políticos em jantar

Justiça de SP decide despejar Naji Nahas de mansão de R$ 50 milhões onde humorista imitou Bolsonaro e outros políticos em jantar

A Justiça de São Paulo decidiu nesta quarta-feira (24) despejar o empresário Naji Robert Nahas da mansão de mais de R$ 50 milhões que ele idealizou e ocupa desde 1980 nos Jardins, bairro nobre da Zona Sul da capital. O libanês de 74 anos ficou conhecido como o investidor financeiro que quebrou a Bolsa de Valores do Rio em 1989.

A informação foi divulgada nesta sexta-feira (26) pelo jornal O Estado de São Paulo e foi confirmada pelo g1.

Em setembro, a residência foi palco de um jantar em homenagem ao ex-presidente Michel Temer (MDB), oferecido por Nahas, onde o humorista André Marinho imitou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e outros políticos. O vídeo do encontro foi divulgado e viralizou nas redes sociais.

Além de obrigar a desocupação da mansão por Nahas e pela esposa, Suely Aun Nahas, o Tribunal de Justiça (TJ) determinou a reintegração de posse do imóvel para a Companhia Pebb de Participações S/A, grupo de investidores que havia adquirido a residência em 1993.

De acordo com o processo do caso, a Pebb comprou a mansão, que já foi de Nahas, diretamente do Banco Noroeste. O empresário, que está radicado desde os anos 1960 no Brasil, havia feito um empréstimo com o banco em 1984, mas se endividou e perdeu o imóvel que tinha deixado como garantia.

Humorista imita Bolsonaro durante jantar em homenagem a Temer em SP

Humorista imita Bolsonaro durante jantar em homenagem a Temer em SP

Como um dos sócios da Pebb, à época, era amigo de Nahas, ele comprou o crédito que o Noroeste tinha sobre a mansão para que o empresário continuasse morando de favor na residência.

O acordo foi verbal e funcionou como uma espécie de “comodato”, na qual a Pebb emprestava a mansão para Nahas morar, desde que se comprometesse a pagar as despesas da casa, como impostos, manutenção etc.

Mas após a morte desse amigo de Nahas, outros sócios da Pebb decidiram entrar na Justiça em 2019 pedindo a saída do empresário e de sua família da mansão e a entrega dela à companhia.

Um dos motivos alegados pela Pebb à Justiça foi de que Nahas deixou de pagar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) do imóvel. Nos últimos três anos, por exemplo, a dívida teria chegado a mais de R$ 5 milhões com a Prefeitura de São Paulo. E como a residência está em nome da Pebb, esse débito está sendo cobrado da companhia.

O pedido de reintegração de posse da mansão foi negado na primeira instância da Justiça. Mas a Pebb recorreu e conseguiu que a 13ª Câmara de Direito Privado do TJ, que representa a segunda instância da Justiça, decretasse o despejo de Nahas e determinasse que o imóvel seja dado a companhia.

Vista aérea mostra onde fica mansão de 5 mil metros quadrados ocupada por Naji Nahas nos Jardins, área nobre de São Paulo — Foto: Reprodução/Google Maps

Vista aérea mostra onde fica mansão de 5 mil metros quadrados ocupada por Naji Nahas nos Jardins, área nobre de São Paulo — Foto: Reprodução/Google Maps

“Vou entrar com um recurso contra a decisão do TJ. Vou alegar que a Justiça de primeiro grau entendeu que a Pebb não tem direito a posse”, disse José Diogo.

 

De acordo com o advogado de Nahas, a Pebb não é dona da mansão. Ainda segundo José Diogo, a companhia vendeu seus direitos sobre a residência para a Taha Comercial e Exportadora em 1996.

Questionado pelo g1, o advogado José Rogério Cruz e Tucci, que atua para a Taha, afirmou que “o imóvel não é da Pebb”.

Segundo ele, a mansão é da Taha, que, de acordo com José Rogério, pagou “R$ 4,8 milhões a Pebb por um compromisso particular de cessão de direitos” pela residência.

 

O advogado ainda informou que a Taha entrou com uma ação na Justiça contra a Pebb em junho de 2021 pedindo a escritura do imóvel.

A Pebb negou que tenha recebido da Taha algum dinheiro pela compra da mansão, que tem um terreno de mais de 5 mil metros quadrados, sendo mais de 2 mil deles somente de área construída.

Quem é Naji Nahas

 

Naji Nahas: o especulador financeiro acusado de quebrar a Bolsa de Valores do Rio em 89

Naji Nahas: o especulador financeiro acusado de quebrar a Bolsa de Valores do Rio em 89

Nahas ficou conhecido internacionalmente na imprensa no final dos anos de 1980, quando foi acusado de ter quebrado a Bolsa de Valores do Rio. Em 1997, a Justiça Federal o condenou a mais de 24 anos de prisão por crimes contra a economia popular e o sistema financeiro. A decisão foi revertida judicialmente depois após recursos feitos por seus advogados. E o empresário foi absolvido das acusações

Apesar disso, a Bolsa de Valores do Rio não se recuperou e acabou sendo incorporada pela Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) em 2002. Em 2008 foi criada a BM&FBovespa, conhecida futuramente como B3, a Bola de Valores brasileira.

Ainda em 2008, Nahas chegou a ser preso pela Polícia Federal (PF) durante a Operação Satiagraha, que à época era um dos desdobramentos das investigações a respeito do Mensalão. Ele era investigado por suspeita de usar informações privilegiadas do mercado de ações para lavar dinheiro em paraísos fiscais, segundo o Ministério Público Federal (MPF).

O empresário foi solto depois por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Em 2011, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou as investigações da Operação Satiagraha. O Supremo confirmou a decisão em 2015.

.
.
.
G1

mais lidas