Siga nossa Redes

Bauru

Justiça aceita denúncia contra massoterapeuta por estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição

Dia a Dia

Publicado

em

Justiça aceita denúncia contra massoterapeuta por estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição

Suspeito que atuava em Garça (SP) como voluntário em escolinha de futebol agora vai a julgamento. Justiça local também converteu a prisão do homem de 60 anos de temporária em preventiva.

A Justiça de Garça (SP) acatou nesta quarta-feira (22) a denúncia do Ministério Público contra o massoterapeuta José Luiz de Oliveira, de 60 anos, que foi preso no mês de junho por abusar de meninos de escolinha de futebol de projeto social na cidade.

O suspeito foi denunciado por estupro de vulnerável e favorecimento da prostituição e, com a decisão da Justiça de primeira instância, ele irá a julgamento. Além disso, a sua prisão temporária foi convertida em preventiva.

Consultada pelo G1, a defesa do massoterapeuta disse que entrou com pedido de habeas corpus, mas que o caso “está nas mãos do relator, ainda sem decisão”. Sobre a decisão da Justiça em acatar a denúncia, a defesa afirma que, agora, “se dará a defesa dos fatos”.

No começo do mês de agosto, a Justiça havia negado o pedido de liberdade provisória e manteve a prisão de José Luiz na cadeia de Barra Bonita, onde ele permanece preso.

De acordo com a delegada responsável pelas investigações, Darlene Rocha, José Luiz foi indiciado pelos dois crimes porque oferecia dinheiro e comida às vítimas.

Ao todo, foram sete adolescentes abusados, todos meninos e, mesmo com o inquérito já concluído, a delegada diz que ainda investiga outras possíveis vítimas do massoterapeuta.

Mensagens no celular

José Luiz atuava como voluntário na escolinha de futebol mantida pelo projeto social e foi preso no dia 25 de junho, depois que a mãe de um dos meninos encontrou mensagens dele no celular do filho.

Em uma das mensagens, o massoterapeuta diz que ama o adolescente e pergunta se ele ainda o quer como mulher (Foto: TV TEM/Reprodução )

Em uma das mensagens, o massoterapeuta diz que ama o adolescente e pergunta se ele ainda o quer como mulher (Foto: TV TEM/Reprodução )

Segundo as investigações, o suspeito oferecia serviço de massagem de graça para os jovens e depois mantinha contato com eles pelas redes sociais.

As mensagens foram anexadas ao inquérito policial que investiga o caso. Em um dos trechos da conversa, o suspeito diz que ama o adolescente e pergunta ao garoto de 13 anos se ainda o quer como mulher. Já em outra conversa, ele diz que está com saudades.

Em outra mensagem, ele insiste e pergunta o que garoto precisa para ir à casa dele e chega a passar o número do cartão de crédito. Foi em uma dessas conversas que a mãe descobriu que o filho estava frequentando a casa do massoterapeuta.

Publicidade
Publicidade

mais lidas