Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Dia a Dia

Integrantes de escolas de samba de SP poderão desfilar sem máscara

Publicado

em

Governo enviou 300 servidores para ajudar em buscas no Amazonas

A decisão dos governos estadual e municipal de São Paulo de acabar com a obrigatoriedade do uso de máscaras ao ar livre vai mudar também o protocolo para as escolas de samba nos desfiles no Anhembi, que acontecerão nos dias 22 e 23 de abril.

O protocolo sanitário da prefeitura exigia o uso de máscara para quem vai desfilar e para o público, além do passaporte da vacina para o público e as agremiações e a redução do número de componente por escola.

As restrições fizeram até mesmo com que o quesito “harmonia” fosse retirado do julgamento do Carnaval 2022, já que avalia se os componentes cantam o samba-enredo, o que ficava impossibilitado.

Os chefes de ala seriam os responsáveis por conferir as fantasias e o uso da máscara pelos componentes. O uso incorreto levaria à perda de pontos no quesito “fantasia”.

Com a flexibilização, as regras terão de ser atualizadas. Não existe mais restrição de ocupação em eventos, que eram limitados a 75%, mas agora poderão funcionar com a capacidade total. Em duas semanas, o governador João Doria (PSDB) pretende anunciar o fim da obrigatoriedade das máscaras inclusive em ambientes fechados.

A única exigência que permanece é a de pedir o comprovante de vacinação para os eventos que geram aglomeração.

Procurados, a Secretaria Municipal da Saúde e o secretário Edson Aparecido afirmaram que seguirão as diretrizes do governo do estado, que desobriga o uso de máscara em ambientes abertos, como o sambódromo do Anhembi.

A secretária da Cultura, Aline Torres, afirmou que as pastas devem se reunir nos próximos dias para a definição de um novo protocolo.

A Liga das Escolas de Samba de SP afirmou que “assim como desde o início da pandemia, a Liga-SP e as escolas de samba seguem as recomendações do governo e das autoridades sanitárias”.

“Seguiremos à flexibilização do uso das máscaras com responsabilidade e seguiremos incentivando a vacinação, que foi o fator que possibilitou essa decisão sobre as máscaras”, disse, em nota.

O antigo protocolo incluía as seguintes regras:

  • Exigência do passaporte da vacina para o público;
  • Pré-cadastro de componentes do desfile com o passaporte da vacina (exigência do passaporte da vacina para os desfilantes);
  • Uso obrigatório de máscara para desfilantes e público;
  • Redução do número de componente por escola;
  • Controle de público na concentração e dispersão e recomendações para os ensaios técnicos e encontros nas quadras.

 

Além disso, previa o adiamento dos desfiles no Anhembi caso a situação epidemiológica da cidade de São Paulo se agravasse nas próximas semanas.

Como os integrantes das escolas de samba que irão participar dos desfiles terão que usar máscara, será excluído do julgamento do Carnaval 2022 o quesito “Harmonia”, que avalia se os componentes cantam o samba enredo. Assim, o uso da máscara não irá atrapalhar a competição.

O protocolo com as diretrizes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa) foi desenvolvido após duas reuniões realizadas entre a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), com a São Paulo Turismo (SP Turis), Secretaria Municipal da Cultura (SMC) e a Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU).

.

.

.

.

.

.

G1

mais lidas