Siga nossa Redes

Eleições 2018

Haddad chama teto de gastos de medida ‘esdrúxula’ e diz que se eleito proporá revogação

Redação

Publicado

em

Haddad chama teto de gastos de medida 'esdrúxula' e diz que se eleito proporá revogação

Acompanhado pela candidata a vice, Manuela D’Ávila, presidenciável do PT conversou com alunos no centro da capital paulista. Haddad foi anunciado como substituto de Lula nesta terça

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, reuniu-se com cotistas e alunos do Prouni nesta quarta-feira (12) na região central de São Paulo. Em entrevista a jornalistas, Haddad chamou o teto de gastos aprovado pelo governo Michel Temer de “medida esdrúxula” e afirmou que se eleito vai propor a revogação da regra.

No evento, Haddad conversou com estudantes acompanhado pela candidata à vice na chapa, Manuela D’Ávila (PCdoB).

Este foi o primeiro ato de campanha de Haddad após o PT anunciar a candidatura do ex-prefeito de São Paulo no lugar do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso em Curitiba (PR). A candidatura de Haddad foi registrada pela legenda no início da noite desta terça-feira (11).

“Nós vamos encaminhar ao Congresso Nacional uma emenda constitucional [para revogar o teto de gastos]. Vocês estão cobrando a execução de uma medida que nenhum país adotou, nem na mais aguda crise, a Grécia, a Argentina. A Argentina está em crise agora. Nem o FMI ousou impor à Argentina aquilo que o governo Temer se autoimpôs e impôs ao país”, afirmou o petista.

Durante o encontro, estudantes que ingressaram no ensino superior pelo sistema de cotas e pelo Prouni deram depoimentos contando suas trajetórias.

Além de Haddad e Manuela, participaram do evento Eduardo Suplicy, que concorre ao Senado pelo PT, e Ana Estela Haddad, esposa do ex-prefeito de São Paulo.

Papel de Lula

Questionado sobre qual será o papel do ex-presidente Lula em um eventual governo, Haddad respondeu: “Tivemos muito cuidado com isso, em razão das circunstâncias, o que nós fizemos com isso: um programa de governo muito pormenorizado, para que a sociedade saiba exatamente as medidas que vão ser tomadas a partir de 1º de janeiro”.

Ele afirmou ainda que o PT tem um projeto “coletivo” que tem Lula “como principal liderança” e “inspiração”.

Haddad disse que Lula “validou” com ele cada ponto do programa durante as visitas que fez ao ex-presidente, preso em Curitiba.

Propostas

Durante a entrevista, Haddad afirmou que se eleito fará uma reforma tributária para “proteger os mais pobres”; uma “reforma bancária” para reduzir juros; dará apoio federal ao ensino médio; incentivará a formação de médicos para atendimentos de “média complexidade”; e vai “federalizar o combate ao crime organizado”, com investimentos na Polícia Federal.

Publicidade
Publicidade

mais lidas