Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Saúde

Governo de SP conta com entregas programadas do Ministério da Saúde e doses em estoque para antecipar calendário de vacinação

Publicado

em

Governo de SP conta com entregas programadas do Ministério da Saúde e doses em estoque para antecipar calendário de vacinação

A antecipação da vacinação contra Covid-19 em São Paulo, anunciada no último domingo (13) pelo governador João Doria (PSDB), deve contar com doses já em estoque no estado e, principalmente, com entregas programadas do Ministério da Saúde.

Desde o início do ano, o estado recebeu mais de 25,7 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 do governo federal, e já repassou 22,2 milhões para os municípios, segundo dados extraídos na noite desta segunda (14). No entanto, mais de 3,5 milhões de doses que foram entregues para o estado ainda não foram repassadas para as cidades, ou ainda não tiveram o repasse registrado em sistema.

Na comparação com os outros estados, São Paulo está armazenando mais doses e distribuindo menos vacinas para as cidades. O estado é o 24º no ranking de distribuição de doses para os municípios, dentre 27 unidades federativas. A distribuição em São Paulo também está abaixo do percentual de repasse nacional, que é de 90,9%, na média de todos os 26 estados e Distrito Federal. Em São Paulo, o índice é de 86,2% nesta segunda (14).

Em entrevista ao G1, a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula, explicou que, além de um “delay” dos sistemas que registram as doses repassadas às cidades, há ainda 1,4 milhão de vacinas que estão marcadas pelo Ministério da Saúde para serem usadas como segunda dose, e que por isso não são distribuídas para os municípios.

Há ao menos 1 milhão de vacinas em estoque que não foram designadas para a segunda dose. A antecipação da vacinação em São Paulo vai contemplar um público muito maior do que o total de doses armazenadas ou em processo de distribuição para os municípios. Isto significa que, para o adiantamento do calendário, o governo conta, majoritariamente, com novas entregas do Ministério da Saúde, e não com a diferença entre as doses recebidas e as repassadas para as cidades.

Apenas a faixa etária de 50 a 59 anos, sem comorbidades, que teve a vacinação antecipada para esta quarta-feira (16) no estado de São Paulo, conta com cerca de 3 milhões de pessoas.

Se considerados ainda os grupos que serão contemplados em seguida, o número de doses necessário supera em muito a quantidade de vacinas que o governo estadual ainda não repassou aos municípios. A vacinação de pessoas de 43 a 49 anos, marcada para começar no próximo dia 23, vai atingir mais 3 milhões de pessoas em São Paulo.

Apesar da diferença de mais de 3 milhões de doses entre as recebidas pelo estado e as repassadas para as cidades, a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula, negou que haja represamento de doses. Segundo Regiane de Paula, descontadas as vacinas reservadas para a segunda dose e aquelas separadas para os grupos prioritários que começaram a vacinação nesta semana, ainda há as cerca de 1 milhão de doses em estoque.

Este valor é considerado, pelo governo de São Paulo, uma espécie de margem de segurança, ou “estoque zero”, como classificou a coordenadora do plano estadual.

“Conforme eu recebo vacina eu repasso em 48h pros meus grupos de vigilância epidemiológica. Então eu dependo do quantitativo de vacinas que chegam, e há semanas que chegam mais vacinas e semanas que chegam menos vacinas, e isso é um movimento como se fosse movimento de caixa”, explicou Regiane de Paula.

.

.

.

G1

mais lidas