Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Economia

FIP Shelf 119 Multiestratégia vence leilão da Codesa

Publicado

em

FIP Shelf 119 Multiestratégia vence leilão da Codesa

Leilão foi realizado na Bolsa de Valores de São Paulo

O consórcio FIP Shelf 119 Multiestratégia foi o vencedor do leilão da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), com uma outorga de R$ 106 milhões. Pelos próximos 35 anos o investimento da FIP Shelf será de pelo menos R$ 850 milhões, sendo R$ 335 milhões na ampliação dos portos de Vitória e de Barra do Riacho. O leilão foi realizado na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3, e foi disputado em vários lances com mais um grupo.FIP Shelf 119 Multiestratégia vence leilão da CodesaFIP Shelf 119 Multiestratégia vence leilão da Codesa

No primeiro momento o vencedor deverá aportar R$ 55 milhões na recuperação estrutural de todo o complexo portuário, R$ 34 milhões na recuperação dos berços dos terminais Peiú e de São Torquato e mais de R$ 270 milhões na modernização do canal de acesso. Também estão previstos R$ 10 milhões como contrapartida na reforma de armazéns e em melhorias urbanas no acesso ao porto.

O secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, durante cerimônia para assinatura de portarias que vão alterar as áreas de poligonais de 16 portos organizados do Brasil.

Secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni – Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil

“Esse contrato pioneiro tem o potencial de mudar todo o cenário do nosso setor portuário”, afirmou o secretário nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni.

A aplicação dos recursos deverá dobrar a movimentação de cargas do Porto de Vitória de 7 milhões de toneladas para 14 milhões de toneladas por ano. Para Barra do Riacho, há a possibilidade de exploração de novas áreas, uma vez que 522 mil metros quadrados, de um total de 860 mil metros quadrados, são greenfield – ou seja, para projetos que começam do zero – e poderão ser destinadas a novas atividades na zona portuária.

“A bem sucedida desestatização da Codesa nos mostra que o futuro da infraestrutura de transportes está cada vez mais próxima da gente. Com os investimentos previstos, será possível dotar os portos de Vitória e de Barra do Riacho das melhores práticas e tecnologias existente no mundo hoje. Na prática, é desenvolvimento, empregos e aprimoramento de toda a cadeia logística brasileira”, afirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

A desestatização da Codesa também prevê a vedação de demissões do atual quadro de funcionários sem justa causa por 12 meses e apresentação de um Programa de Incentivo ao Desligamento Volutário (PIDV) a ser custeado por até 10% das ações vendidas pela União (cerca de R$ 32,6 milhões).

.

 

.

 

.

Agencia  Brasil

mais lidas