Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

“Ficou mais difícil para todo mundo”, diz Weintraub ao manter datas do Enem

Publicado

em

"Ficou mais difícil para todo mundo", diz Weintraub ao manter datas do Enem

Ensino médio em todo o País está sem aulas por conta da crise do novo coronavírus e mais da metade dos alunos terão aulas de forma remota

O ministro da Educação, Abraham Weintraub , reafirmou que as datas do Enem não serão alteradas por conta do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Ele argumentou que o exame é uma competição e, por isso, ficou mais difícil para todo mundo.

“Isso que tem que paralisar tudo é bobagem. O Brasil não pode parar, não vai parar”, afirmou. “Todo ano querem acabar com o Enem. Só que a argumentação deles é equivocada. Está difícil para todo mundo. É uma competição. Vamos selecionar as pessoas mais preparadas para serem os médicos, os administradores, os contadores.”

Na avaliação do ministro, “aula à distância é aula normal, é aula dada”. Ele ainda afirmou que a decisão da quarentena foi “precipitada, de responsabilidade de governadores e prefeitos”.

“E o que eu quero é que, daqui dez anos, quando vier uma outra epidemia mundial lá da Ásia, a gente tenha os melhores médicos. Interromper o Enem e deixar só para 2021 seria matar uma geração”, afirmou o ministro na live. “E quem não tem internet (para ter aulas)? No passado, há dois, três anos, quem não tinha internet também tinha essa dificuldade. Até porque a inscrição também é pela internet.”

Mais da metade do ensino médio brasileiro terá aulas à distância por conta do novo coronavírus. Um levantamento com todas as redes estaduais de educação mostra que 15 delas decidiram realizar a reposição com algum método não presencial. Juntas, elas somam 4,2 milhões de alunos somente no ensino médio – o que corresponde a 57% dos cerca de 7,4 milhões de estudantes (incluindo as escolas privadas) nessa etapa.

O Enem impresso está marcado para os dias 1 e 8 de novembro. Já a versão digital está, inicialmente, marcado para 11 e 18 de outubro. Weintraub, no entanto, afirmou que quer também passar para novembro, nos dias 21 e 29.

“Só faz o digital quem quiser, só voluntários. São 100 mil vagas. Ditatorial só alguns governos estaduais. O governo Bolsonaro é democrático”, alegou.DD

Pelas redes sociais, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que manterá o Enem 2020 porque “a vida não pode parar”.

“Estude pelos livros ou pela internet, converse com seus professores e foque no seu projeto de vida, no seu futuro”.

Ele disse ainda, pelas redes sociais, que o governo está atentos para qualquer necessidade de alteração.

Na live, o ministro afirmou ainda que já criou a proposta de homeschooling e enviou à presidência. “Isso deve ser apresentado na semana que vem.”

Na transmissão, ele também mandou um abraço para “o Duda e o Carluxo” — o deputado Eduardo Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro, filhos do presidente.

Métodos de ensino

Colégios privados – que concentram 17% dos alunos no ensino fundamental brasileiro e 12% do médio – estão encontrando alternativas para repor as aulas. As estratégias são tão diversas quanto os desafios. Há desde classes ao vivo até plataformas que permitem a interação entre os estudantes.

Na rede pública, os meios adotados variam entre os estados, mas há o predomínio do uso de ferramentas on-line. São Paulo, por exemplo, estreará hoje seu sistema. A rede usará um aplicativo de aulas à distância e também transmitirá conteúdos pela TV Cultura. Já o Rio, assim como outros estados, usará ferramentas do Google Classroom. Na plataforma, o aluno entra em sua turma virtual para ter acesso às lições. Já no Maranhão, além da TV, também haverá sessões diárias de ensino pelo rádio.

 

 

 

 

 

 

 

 

IG

mais lidas