Siga nossa Redes

Polícia

Festa clandestina é interrompida na Zona Leste de São Paulo

Redação SP

Publicado

em

Festa clandestina é interrompida na Zona Leste de São Paulo

Evento reunia quase cem pessoas que descumpriam as regras sanitárias. Estabelecimento foi multado em quase R$ 250 mil pela Vigilância Sanitária e pelo Procon. Cidade de SP registrou aglomerações em, pelo menos, sete estabelecimentos no fim de semana e fechou os locais.

Uma festa clandestina com quase cem pessoas foi interrompida em um estabelecimento na Avenida São Miguel, na Zona Leste de São Paulo, na noite deste domingo (4). Pelo menos sete estabelecimentos foram fechados após registrarem aglomerações durante o fim de semana na capital paulista.

Três organizadores do evento foram detidos. Policiais civis e militares, além do Procon e da Vigilância Sanitária, participaram da operação. Uma arma falsa foi apreendida. A festa foi convocada pelas redes sociais, inclusive com venda de ingressos.

No total, 97 pessoas estavam no local, a maioria homens. Quase 40 pessoas estavam sem máscara e fazendo consumo de bebidas alcoólicas, além de compartilharem narguilé, o que é proibido durante a pandemia de coronavírus. O local também tinha pouca ventilação.

A Vigilância Sanitária multou o estabelecimento em mais de R$ 190 mil por permitir pessoas sem máscara no local.

Já o Procon aplicou outra penalidade de mais R$ 50 mil pelo descumprimento da lei antifumo em local fechado.

Os três detidos foram encaminhados ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC).

Os frequentadores da festa clandestina foram liberados após a operação.

Para denunciar festas clandestinas ou funcionamento irregular de serviços não essências é possível fazer uma denúncia pelo telefone da Vigilância Sanitária do estado de São Paulo, que é 0800-7713541, ou ligar para a PM no 190.

Mais aglomeração

Na noite de sábado (3), a Polícia Civil interrompeu uma festa com 130 pessoas no bairro Parque Cocaia, região do Grajaú, Zona Sul de São Paulo. Uma das testemunhas conduzida para o DPPC tinha um mandado de prisão da 3ª Vara da Família e Sucessões do Foro Regional de Santo Amaro por não pagar pensão alimentícia. Ele foi preso.

Na mesma noite, moradores do Largo do Arouche, no Centro de São Paulo, fizeram um panelaço e denunciaram um grupo de pessoas que ouvia música e consumia bebida alcóolica no local. A PM diz que dispersou o grupo, mas os moradores dizem que nem a presença dos policiais acabou com a aglomeração. Ninguém foi preso.

Uma blitz interrompeu outra festa clandestina na madrugada de sábado na Avenida São João, na República. A casa noturna funcionava de portas fechadas e reunia mais de cem pessoas sem máscaras. O proprietário do local, os músicos e funcionários foram levados para a delegacia.

Ainda na noite de sábado, um spa na Aclimação e um bar em Pinheiros foram fechados. Dois bingos também foram fechados. Em um deles, na Avenida Jurucê, em Indianópolis, 65 jogadores foram detidos por crime contra a saúde pública e jogos de azar, a maioria idosos. Foram apreendidas 103 máquinas de apostas.

Por G1

Publicidade

mais lidas