Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Saúde

Farmácias da cidade de SP relatam falta de medicamentos para gripe

Publicado

em

Farmácias da cidade de SP relatam falta de medicamentos para gripe

Com a alta de casos de Influenza na cidade de São Paulo, farmácias de várias regiões da capital relataram desabastecimento de medicamentos como Naldecon e Coristina D, usados para aliviar sintomas gripais.

g1 esteve em 11 farmácias nesta quinta-feira (13) e sete delas estavam sem Naldecon – paracetamol, que age para aliviar febre e dor no corpo, três drogarias não tinham Coristina D, e duas estavam sem a pastilha Strepsils.

Na Drogasil, os funcionários de duas unidades da Zona Sul informaram que Naldecon estava em falta em toda a rede. “O Naldecon está em falta no mercado em geral. Muita gente está procurando por remédios gripais, alguns são faltas eventuais, agora o Naldecon não temos previsão de quando será reposto”, disse um atendente.

Uma das unidades da Zona Sul também estava sem Coristina D, a falta também foi registrada em uma unidade da Zona Oeste, na quarta-feira (12). No mesmo dia, um consumidor relatou dificuldades em encontrar o remédio na Zona Norte .

A Drogasil da Rua Desembargador do Vale, na Zona Oeste, estava com a prateleira de remédios gripais vazia.

Coristina D em falta em uma unidade da Drogasil na Zona Sul — Foto: Deslange Paiva/ g1 SP

Coristina D em falta em uma unidade da Drogasil na Zona Sul — Foto: Deslange Paiva/ g1 SP

“Com os casos de gripe, está tendo muita demanda desses medicamentos que ajudam a combater resfriado. Eles vão chegando de pouquinho em pouquinho, e as pessoas vão levando”, afirmou uma funcionária.

Na Drogaria São Paulo, atendentes afirmaram que aumentou a procura por remédios para a gripe. Duas unidades da Zona Sul estavam sem Naldecon, uma unidade da Zona Oeste também estava sem o medicamento e, além dele, faltavam Novalgina, Strepsils e Multigripe.

Unidades da Drogasil, da Droga Raia e da PagMenos também relataram o desabastecimento de Naldecon. Em uma unidade da Droga Raia, o medicamento Neolefrin, que é recomendado para congestão nasal, dores em geral e febre, também estava em falta, mas um funcionário informou que seria reposto.

Uma unidade da DrogaRaia também estava sem o Neolefrin.  — Foto: Deslange Paiva/ g1 SP

Uma unidade da DrogaRaia também estava sem o Neolefrin. — Foto: Deslange Paiva/ g1 SP

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) informou que não possui dados disponíveis sobre a escassez dos medicamentos citados na reportagem.

g1 procurou a Reckitt Benckiser Brasil, fabricante do Naldecon, mas, até a última atualização desta reportagem, não teve retorno.

Atendimento de pessoas com sintomas gripais

 

Na primeira semana de janeiro, a capital paulista registrou recorde de atendimentos de pessoas com sintomas gripais. Nos primeiros 5 dias do ano foram realizados 57.351 atendimentos a pessoas com sintomas respiratórios, sendo 32.956 suspeitos de Covid-19.

Tanto prontos-socorros públicos quanto privados registraram aumento de pacientes e longas filas de espera para atendimentos nos últimos dias. Hospitais infantis também estão lotados por conta da alta de casos de Covid e outras doenças respiratórias.

O casos de Covid-19 também subiram na capital, entre os dias 1º e 6 de janeiro, o município de São Paulo notificou 10.163 casos com confirmação laboratorial para Covid-19. O número de pessoas internadas em leitos de UTI para a Covid saltou de 40, na terça (11), para 111 nesta quarta-feira (12) na cidade de São Paulo, de acordo com dados da Prefeitura. A taxa de ocupação foi de 41% para 66%.

.

.

.

.

.

G1

mais lidas