Colunistas Fabricio Caruso

Fabricio Caruso: Viralizando por todo lado

Redação
Escrito por Redação

Viralizando por todo lado

Viral… Viralizar… Viralizou… Essas palavras são muito usadas atualmente. Comumente, quando uma informação se espalha de forma dinâmica para as pessoas, na maioria das vezes por meios digitais. Um termo que se adaptou para conteúdos como figura de linguagem, que originalmente, se usa para falar que um vírus se espalhou. Na maioria das vezes, se remete a coisas que afetam negativamente o que se viralizou, salvo quando a análise fica restrita ao sucesso de pulverização de informações.

Vírus de doenças biológicas, vírus de danos aos sistemas de computadores, vírus de notícias falsas, as tais das fake News. Tudo que viraliza nesse sentido é ruim!

Como falei no meu artigo do último dia 06 de março, repito agora, em uma nova abordagem, mas com a mesma lógica: – Uma linha tênue separa liberdade individual de egoísmo, portanto, atenção! Quando algo não funciona como deveria, o caos se instaura. E ainda acrescento: Liberdades individuais podem gerar caos coletivo!

Em tempo de liberdade, a minha questão aqui não é apontar o que é verdade ou não, trazer regras para limitar seu livre arbítrio, mas para que todos nós tenhamos consciência para absorvermos informações e não absorvermos Coronavírus.

Além de expandirmos nossa consciência na absorção, devemos ter a responsabilidade de não espalhar histórias e conspirações, pois assim como o vírus COVID-19, irresponsabilidade também viraliza. Liberdade permite Fake News. Minha moral não!

Muitas reflexões se fazem presentes, muitos artigos falam sobre este momento de calamidade histórica que vivemos em 2020. Vamos fazer a nossa parte, aprender e observar o lado positivo das coisas, e como diriam os mais vividos: Fazer do limão a limonada!

Muitas coisas que precisam mudar, se transformar, e não aconteciam por rotinas estabelecidas e medo de alterar o status quo, pela dor, agora podem acontecer. Pelo amor, faço aqui um apelo: – Cuidem dos seus pais, seus avós, bisavós, seus tios. Orientem eles, com paciência, muita paciência… “Prefiro a morte do CoronaVírus, pois quero meus Coroas Vivos!” (Meme das redes sociais).

Sempre cito alguns trechos dos pensamentos da Filosofia Guaracyana em meus artigos, pois é a base filosófica que me guia e me inspira, mas além desses pensamentos, há também princípios da filosofia que sigo fielmente, e um em especial se faz muito presente neste momento, o XIII: “Não abandonem as crianças, os idosos e os doentes: Idoso é uma criança que brinca no Jardim da Vida fantasiado com Máscaras do Tempo.” … “Abandoná-los é mais que negar a própria história.” … “O amor às crianças, o Respeito aos idosos, a Compaixão pelos doentes são gestos que talvez não os levarão ao paraíso. Mas com certeza os farão dignos na Terra.”.

Prefiro expandir consciência, do que viralizar mazelas. Então é tempo!

 

FABRICIO RICO CARUSO, é Relações Institucionais e Colunista do Jornal Diário de S.Paulo. Formado em Gestão Pública, MBA em Relações Institucionais pelo Ibmec/DF, com conclusão final em Gestão e Estratégia Política em Washington DC, EUA.

Membro-Fundador do CAMP – Clube Associativo dos Profissionais de Marketing Político. Firmou Termo de Compromisso no TSE para combate às Fake News no Brasil (2018). Foi jurado do 1° Prêmio CAMP da Democracia (2019).

Coautor do livro “Da Lava-Jato à Sétima República”, Cap. “Aliança Estratégica entre o Poder Público e o Setor Privado”, 2019, Casa Política.

Sobre o autor

Redação

Redação

%d blogueiros gostam disto: