Siga nossa Redes

saúde

Estado de SP ultrapassa 44 mil mortes por coronavírus; já são mais de 1,3 milhão de casos

esportes

Publicado

em

Estado de SP ultrapassa 44 mil mortes por coronavírus; já são mais de 1,3 milhão de casos

São Paulo, que tem cerca de 44 milhões de habitantes, registra 44.018 óbitos no total e 1.334.703 casos confirmados da infecção.

Por G1 SP

O estado de São Paulo ultrapassou neste domingo (13) a marca de 44 mil óbitos por coronavírus desde o início da pandemia.

Nas últimas 24 horas foram registrados 47 óbitos e 940 casos confirmados da doença e, com isso, o estado atingiu 44.018 óbitos no total e 1.334.703 casos confirmados da infecção desde o início da pandemia.

As novas confirmações não significam que as mortes e casos aconteceram nas últimas 24 horas, mas que foram contabilizadas nesse período.

Vale destacar que, aos finais de semana, o número de casos e mortes costuma ser menor, pois muitos municípios costumam atualizar esses números em dias de semana.

Veja os novos registros no estado de SP:

  • 47 novas mortes;
  • 940 novos casos.

Veja o total no estado de SP desde o início da pandemia:

  • 44.018 mortes;
  • 1.334.703 casos confirmados.

Até sábado (12), a média móvel de casos e mortes no estado de São Paulo está em alta, de acordo com o consórcio de veículos de imprensa.

Taxa de ocupação de UTIs

Segundo o governo estadual, as taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,1% na Grande São Paulo e 59,3% no estado.

O número de pacientes internados é de 10.805, sendo 6.105 em enfermaria e 4.700 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 12h deste domingo.

Atualmente, os 645 municípios de São Paulo têm pelo menos uma pessoa infectada, sendo 599 com um ou mais óbitos.

Governo avalia reativar hospitais de campanha

Governo de SP estuda reabrir hospitais de campanha

Governo de SP estuda reabrir hospitais de campanha

 

O coordenador-executivo do Centro de Contingência do Coronavírus, João Gabbardo, disse neste sábado que o governo do estado não descarta reativar os hospitais de campanha em São Paulo.

“Está já no nosso planejamento, dependendo da ocorrência e do que ocorrer nas próximas semanas, é possível sim, que nós tenhamos que reativar os hospitais de campanha. O ideal é colocarmos mais recursos em instalações que não sejam temporárias, sejam instalações definitivas. Essa é uma prioridade. Agora, se isso não for suficiente, nós vamos ter que partir para os hospitais de campanha sim”, afirmou.

Mais tarde, o governador João Doria (PSDB) também falou sobre a possibilidade de reativação. “Já foi discutido no Centro de Contingência que se houver necessidade da reativação dos hospitais de campanha nós reativaremos.”

A declaração foi dada após a alta nas internações ocorridas nas últimas semanas que aumentou a pressão no sistema de saúde, principalmente nas cidades com menor estrutura para receber os pacientes com Covid-19.

Na capital paulista, o governo estadual abriu hospitais de campanha no Ibirapuera e em Heliópolis. O hospital de campanha do Ibirapuera foi fechado cinco meses após sua inauguração. Já o de Heliópolis, na Zona Sul, funcionou por quatro meses.

O secretário municipal da Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, descartou a possibilidade de reativar os hospitais na capital.

.

.

.

G1 – Globo

Publicidade

mais lidas