Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Saúde

Estado de SP tem mais de 11 mil pacientes internados com Covid-19, e taxa de ocupação de UTI volta a ficar acima de 60%

Publicado

em

Estado de SP tem mais de 11 mil pacientes internados com Covid-19, e taxa de ocupação de UTI volta a ficar acima de 60%

Taxa de 60% não era registrada desde 5 de agosto. Na Grande SP, a taxa de ocupação de leitos é de quase 66%, e vários hospitais públicos estaduais da capital e da Região Metropolitana estão com lotação máxima das UTIs ou com ocupação perto de 100%.

O estado de São Paulo voltou nesta terça-feira (15) a ter um número de pacientes internados por Covid-19 acima de 11 mil, considerando toda a rede pública e particular de saúde. A taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) no estado também voltou a ficar acima de 60%, o que não acontecia desde 5 de agosto.

Segundo levantamento da TV Globovários hospitais públicos estaduais da capital paulista e da Grande São Paulo estão com lotação máxima dos leitos de UTI ou com ocupação perto de 100%.

Entre os hospitais estaduais em situação crítica para atendimento de pacientes com Covid-19, estão:

  • Hospital Geral de Guaianases (Zona Leste) – 100% de ocupação;
  • Hospital de Sapopemba (Zona Leste) – 100% de ocupação;
  • Complexo Hospitalar Padre Bento (Guarulhos) – 94,4% de ocupação;
  • Hospital Geral de Itapevi (Grande SP) – 87,5% de ocupação;
  • e Complexo Hospitalar do Mandaqui (Zona Norte) – 80% de ocupação.

O estado vive uma nova piora da pandemia, com alta de internações, novos casos e novas mortes por coronavírus nos últimos dias.

De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde, SP contabilizou nesta terça 11.204 pacientes internados com suspeita ou confirmação de Covid-19, sendo 6.345 em enfermaria e 4.859 em leitos de UTI.

O total de pacientes internados não ficava acima de 11 mil desde 5 setembro, quando 11.145 pessoas ocupavam leitos no estado. Entre setembro e outubro, houve uma queda nas internações, que chegaram a ficar em torno de 6 mil. Mas os números voltaram a subir, e há 15 dias seguidos o total de pacientes internados vem ficando acima de 10 mil.

A ocupação de leitos de UTI também vem subindo progressivamente e chegou nesta terça a 60,2% no estado e 65,8% na Grande São Paulo. O estado não registrava taxa de UTI acima de 60% desde 5 de agosto. Na última semana, algumas cidades da Grande São Paulo chegaram a registrar taxas acima de 80%.

Outros hospitais municipais da capital paulista também estão com os leitos para pacientes de Covid-19 próximos da lotação máxima, como o Santa Marcelina, Cruz Vermelha, Santa Casa de Santo Amaro e Hospital da Bela Vista. Nessas unidades, a ocupação passa de 80% (veja o infográfico abaixo).

Lotação de leitos de UTI em hospitais municipais da capital paulista nesta terça-feira (15). — Foto: Reprodução/TV Globo

Lotação de leitos de UTI em hospitais municipais da capital paulista nesta terça-feira (15). — Foto: Reprodução/TV Globo

Para o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, que testou positivo para a doença nesta terça-feira, a pressão nos hospitais é um reflexo principalmente da ausência de distanciamento social na cidade.

“Nós tivemos o inquérito sorológico de 40 dias atrás, [que] apontou uma prevalência, um aumento muito grande de casos na chamada área da cidade de IDH alto: Vila Mariana, Butantã, Perdizes, Pinheiros, Lapa, Morumbi… E obviamente nesses casos, onde as pessoas voltaram a circular em bares, restaurantes, jovens foram para as baladas, contraíram a doença e levaram a doença pra casa”, afirmou o secretário.

“Quem está se contaminando de forma mais grave são aquelas pessoas que têm comorbidades – cardiopatas, diabéticos, deficientes renais – e os nossos idosos. Esses são o grupo de risco mais sério e que tem mais se adoentado, como aconteceu em outro momento. A juventude é aquela que mais se contamina, mas é aquela que menos fica doente.”

Novo leitos em SP

Nesta sexta-feira (11), o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que vai garantir a abertura de 2 mil novos leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) destinados para pacientes da Covid-19.

O governo também anunciou a redução do horário de funcionamento de bares e ampliação do funcionamento do comércio para evitar aglomerações. No entanto, uma decisão liminar da Justiça desta segunda-feira (14) derrubou a proibição para que restaurantes parassem de servir bebidas alcoólicas às 20h, que era uma das regras do novo decreto.

Equipe de saúde cuida de paciente com Covid-19 na UTI do Instituto Emílio Ribas, no dia 8 de dezembro. — Foto: Suamy Beydoun/Estadão Conteúdo

Equipe de saúde cuida de paciente com Covid-19 na UTI do Instituto Emílio Ribas, no dia 8 de dezembro. — Foto: Suamy Beydoun/Estadão Conteúdo

Alta de mortes e casos

Nesta terça, o estado de São Paulo chegou a 44.282 mortes e 1,34 milhão de casos confirmados desde o início da pandemia.

A média móvel diária de mortes, que leva em consideração os registros dos últimos 7 dias, é de 143 nesta terça. O valor é 17% maior do que o registrado há 14 dias, o que para especialistas indica tendência de alta. O estado registra tendência de alta nas novas mortes há 12 dias seguidos.

Já a média móvel diária de casos é de 4.412 nesta terça. O valor é 28% maior do que o registrado há 14 dias, o que também indica tendência de alta. A tendência de alta nos casos já é observada há 7 dias seguidos.

.

.

.

G1 – Globo.

mais lidas