Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Educação

Escolas de SP iniciam retorno presencial a partir de segunda-feira; veja datas definidas pelas redes municipais

Publicado

em

Escolas de SP iniciam retorno presencial a partir de segunda-feira; veja datas definidas pelas redes municipais

Estado encerra fase emergencial neste domingo (11). Mudança permite atividades presenciais nas escolas com rodízio e limite de 35% de alunos dentro das salas.

As escolas estaduais de São Paulo se preparam para receber alunos presencialmente a partir de segunda-feira (12), com o retorno à fase vermelha da quarentena, que permanecerá em vigor até 18 de abril.

Nesse estágio, a presença não é obrigatória e as escolas precisam manter somente 35% da capacidade das salas com horários reduzidos e escalonados. As escolas particulares de todo estado acompanham o Plano SP, com a mesma limitação de capacidade nas salas e o rodízio.

As escolas estaduais devem reabrir na segunda e na terça-feira (13) para orientação de pais e alunos, e retomar o ensino presencial na quarta-feira (14), segundo anunciou o vice-governador do estado, Rodrigo Garcia, na última sexta (9). As prefeituras podem decidir regras específicas para a volta das aulas presenciais.

As escolas da rede municipal da capital paulista também voltam na segunda, com rodízio de alunos e limite de 35% da classe dentro das salas. Não haverá rodízio para alunos do ensino infantil.

 

O secretário da educação do estado de SP, Rossieli Soares, afirmou que o foco para o retorno são alunos com extrema defasagem, com dificuldade de acesso à tecnologia e os que têm dificuldade de alimentação.

“Alunos cujos os responsáveis trabalhem em serviços essenciais: é importante que a gente dê suporte aos trabalhadores da área da saúde. Muitas vezes eles não estão podendo estar lá para ajudá-los. E alunos com saúde mental sob risco. Então, a partir de segunda-feira as escolas já podem estar abertas”, afirmou Soares.

Funcionários, professores e alunos que fizerem parte de grupo de risco continuam em regime remoto.

Segundo uma professora da escola estadual Professor Ennio Voss, no Brooklin, na zona sul da capital, as aulas voltam na próxima quarta-feira (14) e que segunda e terça serão dias de reuniões entre professores e outros funcionários para alinhar o retorno.

“Na idade delas acho que é importante esse convívio com outras crianças. Quer dizer, tem o risco da doença e tem o risco das crianças também perderam essa fase, ficarem atrasadas. E eu vejo que elas voltam muito bem da escola”, contou o engenheiro Marcelo Gravina, que tem duas filhas matriculadas em escolas particulares.

Região Metropolitana

 

Na região metropolitana as cidades também estão se preparando para receber os aluno nas escolas municipais.

  • Guarulhos: na próxima semana
  • Franco da Rocha: na próxima semana
  • Pirapora do Bom Jesus: na próxima semana
  • Ribeirão Pires: 30 de maio
  • Itapevi: 3 de maio
  • Diadema: 3 de maio

 

As cidades de Osasco, Barueri, Itapecerica da Serra e Itaquaquecetuba ainda não definiram retornos.

Em Carapicuíba, Cotia, Embu das Artes, Ferraz de Vasconcelos, Francisco Morato, Guararema, Mogi das Cruzes, Poá e Jandira as aulas da rede municipal serão apenas remotas por enquanto.

Em Suzano as aulas estão suspensas até 17 de abril e em Cajamar até 30 de abril.

Fim da fase emergencial

 

O estado de São Paulo retorna na segunda-feira (12) à fase vermelha da quarentena, que permanecerá em vigor até 18 de abril.

VÍDEO: Veja o que muda com o retorno à fase vermelha em SP

veja o que muda com o retorno à fase vermelha em SP

Na prática, a mudança permite o retorno das atividades presenciais nas escolas das redes pública e privada, desde que autorizadas pelas prefeituras, além da abertura de alguns serviços que estavam vetados e a retomada de competições esportivas profissionais. Já o atendimento presencial em comércios, bares e restaurantes segue proibido em todo o estado.

Algumas restrições da fase emergencial, como o toque de recolher das 20h às 5h, foram mantidas na fase vermelha. O cumprimento da restrição continua a ser fiscalizado por uma força-tarefa composta por integrantes das vigilâncias sanitárias, da Polícia Militar e do Procon.

O que muda:

 

  • Escolas poderão receber alunos presencialmente, desde que autorizadas pelas prefeituras e com até 35% dos alunos matriculados a cada dia;
  • Competições esportivas profissionais, como o Campeonato Paulista de Futebol, podem retornar, sem público;
  • Serviços de retirada (take-away) dos restaurantes e funcionamento de lojas de material de construção, embora já estivessem permitidos por meio de liminar judicial, agora passam a ser autorizados pela gestão estadual.

 

O que permanece:

 

  • Proibição de cultos religiosos presenciais;
  • Teletrabalho (home office) obrigatório para escritórios, atividades administrativas, repartições públicas, serviços de telecomunicações ou de tecnologia da informação (TI);
  • Recomendação do escalonamento de horários alternados para os setores de serviços, comércio e indústria;
  • Toque de recolher das 20h às 5h.

 

que pode funcionar na fase vermelha?

 

  • Escolas e universidades (cursos da área da saúde);
  • Hospitais, clínicas, farmácias, dentistas e estabelecimentos de saúde animal (veterinários);
  • Supermercados, hipermercados, açougues e padarias, lojas de suplemento, feiras livres;
  • Delivery, retirada (take-away) e drive-thru para bares, lanchonetes e restaurantes;
  • Cadeia de abastecimento e logística, produção agropecuária e agroindústria, transportadoras, armazéns, postos de combustíveis e lojas de materiais de construção;
  • Empresas de locação de veículos, oficinas de veículos, transporte público coletivo, táxis, aplicativos de transporte, serviços de entrega e estacionamentos;
  • Serviços de segurança pública e privada;
  • Construção civil e indústria;
  • Meios de comunicação, empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora e de sons e imagens;
  • Outros serviços: igrejas e estabelecimentos religiosos, lavanderias, serviços de limpeza, hotéis, manutenção e zeladoria, serviços bancários (incluindo lotéricas), serviços de call center, assistência técnica e bancas de jornais.

 

O que não pode funcionar na fase vermelha?

 

  • Academias;
  • Cultos, missas e celebrações em igrejas e templos religiosas;
  • Salões de beleza;
  • Cinemas;
  • Teatros;
  • Shoppings;
  • Lojas de rua com atendimento presencial;
  • Concessionárias de veículos;
  • Escritórios administrativos;
  • Parques;
  • Clubes.

 

.

.

.

Fonte: G1 – Globo.

mais lidas