Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Em vídeo, Bolsonaro discursa na Cúpula da Biodiversidade da ONU

Publicado

em

Em vídeo, Bolsonaro discursa na Cúpula da Biodiversidade da ONU

Amazônia deve estar na pauta do discurso presidencial

O presidente Jair Bolsonaro discursa, nesta quarta-feira (30), na Cúpula da Biodiversidade da Organização das Nações Unidas (ONU), por meio de um vídeo. A Amazônia deve estar na pauta do discurso presidencial. Presidentes de mais de 40 países, além de ministros de Meio Ambiente, discursarão no evento.Em vídeo, Bolsonaro discursa na Cúpula da Biodiversidade da ONUEm vídeo, Bolsonaro discursa na Cúpula da Biodiversidade da ONU

Acompanhe ao vivo:

A ONU vem pedindo “ação imediata” de líderes mundiais em reafirmar compromisso com a causa. “Não temos tempo a perder. A perda da biodiversidade e da natureza está em um nível sem precedentes na história da humanidade”, disse Elizabeth Mrema, secretária-executiva da Convenção sobre Diversidade Biológica.

A Convenção sobre Diversidade Biológica é um tratado internacional firmado na Cúpula da Terra das Nações Unidas realizada no Brasil em 1992. Tem três objetivos: a conservação da diversidade biológica; o uso sustentável da natureza; e a repartição justa e equitativa dos benefícios decorrentes da ciência genética.

Sob a convenção, os países concordaram em 2010 com as Metas de Biodiversidade de Aichi – um grupo de 20 metas para conservar a biodiversidade que vão desde a preservação de espécies até a redução do desmatamento até 2020. As metas de Aichi são para a biodiversidade o que o acordo climático de Paris é para o aquecimento global.

Os países tinham até este ano para atingir as metas e, então, avançar para a criação de uma estrutura de biodiversidade global pós-2020. Mas, apesar de algum progresso, as metas – que vão desde impedir a extinção de espécies até o corte da poluição e a preservação das florestas – não foram alcançadas.

.

.

.

.

Com informações da ONU 

mais lidas