Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Em crise, Orquestra Sinfônica Brasileira cancela apresentações

Publicado

em

Em crise, Orquestra Sinfônica Brasileira cancela apresentações

Instituição precisa de R$ 15 milhões para fechar o orçamento do ano.
Com patrocinadores saindo, músicos buscam solução.

Com 76 anos de existência e mais de 5 mil concertos realizados, a Orquestra Sinfônica Brasileira enfrenta uma grave crise. Sem dinheiro, a OSB cancelou 11 apresentações desde junho e mais 12 previstas até o fim do ano foram suspensas.

Como mostrou a Globonews, os salários de 180 músicos e funcionários estão atrasados em setembro e os planos de saúde estão suspensos. Apesar da crise, os ensaios seguem, e os músicos planejam a troca das apresentações para lugares mais baratos e alterações no repertório para músicas de domínio público, que não precisam de pagamento de direitos para serem executadas.

“Cada um de nós se identifica muito com a marca da OSB. É como carregar no peito [os dizeres] ‘Eu sou da OSB’. Então, ver essa instituição ameaçada realmente nos preocupa muito”, lamenta o presidente da comissão de músicos da OSB, Nicolay Sapoundjiev.

O orçamento para 2016 era de R$ 26 milhões. A direção já entrou o ano devendo R$ 5 milhões, e ainda precisa de R$ 15 milhões para fechar a conta. A orquestra é uma instituição privada. Entre as razões do panorama atual da OSB está o cancelamento de patrocinadores, devido a crise financeira que atinge o país – de 2015 para 2016 a orquestra perdeu metade dos investimentos. A Prefeitura do Rio, que já chegou a contribuir com R$ 6 milhões em 2013, em 2016 ficou de contribuir com R$ 2,5 milhões, mas isso ainda não aconteceu, ainda segundo a reportagem da Globonews.

Apesar da crise, a vice-presidente do sindicato dos músicos do Rio de Janeiro, Débora Cheyne, acredita em novas oportunidades para rediscutir e reforçar o valor da música de concerto. “Se costuma dizer que a crise é um momento onde a criatividade entra em ebulição. Então temos que turbinar essa ebulição e pensar, repensar não só a OSB, mas a função de uma orquestra sinfônica dentro de uma sociedade. A OSB não vai acabar, a OSB não pode acabar”, afirma;

mais lidas