Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Eclipse lunar mais longo do século pode ser visto com telescópio no Sesc e Unesp em Rio Preto

Publicado

em

Eclipse lunar mais longo do século pode ser visto com telescópio no Sesc e Unesp em Rio Preto

Locais terão ponto de observação de graça e aberta ao público com telescópios profissionais. Eclipse pode ser visto a partir das 17h55.

Nesta sexta-feira (27) vai ter o maior eclipse lunar do século, que poderá ser visto a olho nu em várias regiões do país.

Para garantir que ninguém fique sem ver o fenômeno, o Sesc de São José do Rio Preto (SP) fará uma observação com telescópio profissional em seu gramado, com a presença de um astrônomo para esclarecer as dúvidas dos participantes.

Os interessados podem chegar a partir das 18h. A entrada é gratuita.

O grupo de Astronomia do Ibilce (Gamat) também vai disponibilizar de graça telescópios para observação, no campo de futebol da Unesp, a partir das 17h40.

(Veja o horário que a Lua vai aparecer na sua cidade, segundo especialistas esse é o melhor horário para visualizar o fenômeno).

O eclipse

Um eclipse lunar total acontece quando Sol, Terra e Lua se alinham e o nosso planeta faz sombra no satélite. Isso faz a Lua ficar escura e perder o brilho.

O fenômeno começa às 16h30, mas a Lua ainda não terá nascido no Brasil. Mesmo assim, vamos poder observar uma parte da fase total – quando o satélite está inteiro na sombra – e da fase parcial (umbra). É só esperar a Lua nascer. Tudo acaba às 19h19.

Como é um eclipse lunar total (Foto: Karina Almeida e Alexandre Mauro/G1)

Como é um eclipse lunar total (Foto: Karina Almeida e Alexandre Mauro/G1)

Lua de sangue

A Lua desta sexta-feira também será de sangue – o fenômeno deixa o satélite com um tom avermelhado.

Isso acontece porque os raios do Sol são bloqueados pela Terra, mas passam pela atmosfera. A luz é a soma de todas as cores (arco-íris) e cada uma delas se comporta de uma forma quando chega na camada de ar ao redor do nosso planeta. A cor azul, por exemplo, se espalha muito mais que a vermelha – que acaba predominando. Por isso, teremos a versão mais “quente” do nosso satélite.

Lua de Sangue (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo Pessoal)

Lua de Sangue (Foto: Marcos Vicentti/Arquivo Pessoal)

Marte

Marte estará mais perto da Terra, de acordo com a Agência Espacial Brasileira (AEB), a distância será de 56 milhões de quilômetros, sendo que a média é de 228 milhões.

Além disso, ele aparecerá no lado oposto ao Sol, o que formará uma bela visão ao lado da Lua. Vale assistir o eclipse e ficar de olho no brilho do planeta vermelho.

mais lidas