Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Esportes

Dez questões para ficar de olho com os quarterbacks da NFL

Publicado

em

Dez questões para ficar de olho com os quarterbacks da NFL

O início da temporada se aproxima e, como sempre, a atenção do público vai para os quarterbacks. Esporte coletivo, sim, mas as mudanças recentes no esporte só serviram para tornar posição dos QBs ainda mais importante. Como diria o tio do Homem-Aranha, com grandes poderes vem grandes responsabilidades.

O foco maior garante contratos mais lucrativos, patrocínios maiores, mas um peso igualmente. Certo ou errado, os QBs acabam sendo os heróis nas vitórias e vilões nas derrotas. É a vida na NFL.

A temporada 2021/2022 começa cheia de perguntas sobre os jogadores dessa posição. E o ge separou as dez mais importantes que todo fã da bola oval quer ver sendo respondida, vamos lá!

Patrick Mahomes vai recuperar o MVP?

 

Patrick Mahomes tem três temporadas como titular na NFL e em todas chegou pelo menos na final da AFC, em duas no Super Bowl — Foto:  Patrick Smith/Getty Images

Patrick Mahomes tem três temporadas como titular na NFL e em todas chegou pelo menos na final da AFC, em duas no Super Bowl — Foto: Patrick Smith/Getty Images

Não há dúvidas de que Patrick Mahomes é o melhor quarterback da NFL. O prêmio de MVP, no entanto, terminou em uma casa que não a do camisa 15 do Kansas City Chiefs por duas temporadas consecutivas.

Em 2019, o troféu acabou com Lamar Jackson, do Baltimore Ravens, após Patrick Mahomes se lesionar e demorar algumas semanas para reencontrar o melhor futebol americano. Ano passado foi a vez de Aaron Rodgers reconquistar o MVP após simplesmente ter um ano melhor que Mahomes, sem desculpas.

Ter ficado atrás de Rodgers e Josh Allen, que foram espetaculares, na votação do ano passado não é demérito. Em 2021, com linha ofensiva reforçada, Tyreek Hill e Travis Kelce como alvos e Andy Reid chamando jogadas, não há motivos para não tê-lo como o grande favorito ao MVP.

Aos 44 anos, Tom Brady continuará desafiando o tempo?

 

Tom Brady conquistou o seu 7º Super Bowl aos 43 anos  — Foto: Mark J. Rebilas-USA TODAY Sports/via Reuters

Tom Brady conquistou o seu 7º Super Bowl aos 43 anos — Foto: Mark J. Rebilas-USA TODAY Sports/via Reuters

Enquanto Tom Brady continuar jogando, a pergunta antes de toda temporada sempre será sobre quanto mais tempo ele conseguirá atuando em alto nível. O QB dos Bucs ter não só conquistado o Super Bowl no último ano, mas também jogando como um dos melhores da posição na NFL não tem precedentes.

Desde a criação do Super Bowl, após a fusão da NFL com a AFL, apenas três quarterbacks jogaram com 44 anos, idade que Tom Brady possui agora, e nenhum deles foi exatamente prolífico.

QBs com 44 anos

George Blanda (1971) Warren Moon (2000) Vinny Testaverde (2007)
Time Oakland Raiders Kansas City Chiefs Carolina Panthers
Jogos 14 2 7
Jogos como titular 0 1 6
Passes completos/tentados 32/58 14/34 94/172
Jardas 378 208 952
Touchdowns 4 1 5
Interceptações 6 1 6

Não precisa ser especialista para ver que não se trata de uma lista encorajadora, mas Tom Brady já se provou um ponto tão fora da curva que é impossível fazer qualquer previsão sobre quando ele alcançará o inevitável declínio. Por isso, cabe aos fãs de futebol americano continuar aproveitando enquanto há tempo.

Como será o desempenho de Aaron Rodgers após offseason conturbada?

 

Não foram férias simples para o Green Bay Packers. Vindo de uma temporada na qual conquistou o MVP, Aaron Rodgers não escondeu a frustração com a franquia e flertou com pedido de troca ou até mesmo aposentadoria para apresentar game show.

A novela terminou no final do mês, com os Packers concordando em anular o último ano do contrato do quarterback (2022) e prometendo reavaliar a sua situação na próxima offseason. O QB não escondeu sua frustração por não ser envolvido nas decisões sobre o elenco, principalmente no que diz respeito à saída de veteranos como Clay Matthews e Jordy Nelson.

Aaron Rodgers bateu de frente com a diretoria dos Packers durante a offseason — Foto: Stacy Revere/Getty Images

Aaron Rodgers bateu de frente com a diretoria dos Packers durante a offseason — Foto: Stacy Revere/Getty Images

Será que os dois lados vão conseguir colocar as diferenças de lado para brigar por mais um título em 2021? O corpo de recebedores não recebeu reforços além do retorno de Randall Cobb, que pode ser questionado como “reforço” nessa altura da carreira, e a linha ofensiva terá David Bakthiari voltando de lesão séria no joelho e com Josh Myers na posição de center, substituindo Corey Linsley que assinou com os Chargers na offseason.

O Green Bay Packers perdeu na final de conferência para o eventual campeão, Tampa Bay Buccaneers, então não estamos falando de um time que ficou muito longe do Super Bowl. Dito isso, olhando o elenco e toda a polêmica da offseason, a sensação é que muitas variáveis precisam ajudar os Packers em 2021 para que o time brigue mais uma vez pelo título.

Josh Allen conseguirá se manter no topo após o grande salto em 2020?

 

Em 2020, Josh Allen teve um desempenho que lhe renderia MVP em muitos anos da história da NFL, após ser um dos piores titulares nas suas duas primeiras temporadas na liga. Difícil encontrar precedente para uma ascensão como essa, o que levanta a justa questão: é sustentável?

A principal “locomotiva” para a evolução foi a melhora incrível de sua precisão, uma característica que não costuma melhorar significantemente quando um QB chega na NFL. Allen foi o 3º quarterback em CPOE (Completion Percentage Above Expectations) segundo o site RBSDM.com, após ter sido 24º e 30º em 2019 e 2018 respectivamente. Essa estatística avançada leva em conta quanto o passador completa de passes acima do esperado, ou seja, leva em conta a distância e a situação de jogo.

Josh Allen deu um salto de produção se precedentes na história da NFL — Foto: Getty Image

Josh Allen deu um salto de produção se precedentes na história da NFL — Foto: Getty Image

O ataque do Buffalo Bills, incluindo o coordenador ofensivo Brian Daboll, manteve todas as suas peças importantes para 2021. Uma das franquias mais inteligentes da NFL, no ano passado em situações neutras, ou seja excluindo momentos em que a equipe estava com lideranças grandes ou perdendo por muito, os Bills foram o 7º time que mais passaram a bola e 6º que com mais frequência arriscaram quartas descidas.

Todos esses sinais contribuem para um cenário de estabilidade para o ataque da equipe e, consequentemente, Josh Allen. Claro que atletas veem seu desempenho oscilar, natural de qualquer esporte, mas Allen tem tudo para evitar uma regressão muito significativa.

Matthew Stafford e Sean McVay serão o casamento perfeito que os Rams esperam?

 

Depois de dois anos nos quais Jared Goff claramente limitou o potencial do Los Angeles Rams, a equipe foi agressiva e trouxe Matthew Stafford nessa offseason para substituí-lo. Nos Lions, desde 2015 o QB vivia o inverso nos Lions, sendo o passador talentoso que nunca teve a ajuda ao redor que precisava.

Matthew Stafford mudou de time pela primeira vez na carreira — Foto: Jevone Moore/Icon Sportswire via Getty Images

Matthew Stafford mudou de time pela primeira vez na carreira — Foto: Jevone Moore/Icon Sportswire via Getty Images

No papel é o casamento perfeito, mas nem tudo que faz sentido na teoria dá certo na prática. Stafford ainda precisa aprender um novo esquema após mudar de time pela primeira vez na carreira, e o elenco dos Rams continua a ser pouco equipado para lidar com lesões, com algumas superestrelas e cercadas por muitos novatos que ainda não se provaram.

Mesmo que não dê certo, não dá para culpar o Los Angeles Rams por tentarem. Jared Goff claramente havia alcançado o seu limite com a equipe, na posição de QB é difícil imaginar que Stafford não represente uma evolução. Ainda assim, se a expectativa for “Super Bowl ou nada”, trata-se de uma barra altíssima, seja qual for o time.

O que esperar de Dak Prescott após a grave lesão no ano passado?

 

Dak Prescott era um dos melhores quarterbacks da temporada passada até se machucar. Não foi qualquer lesão, o jogador dos Cowboys sofreu uma fratura exposta no tornozelo direito. Além disso, Dak vem lidando com um problema no ombro que não o permitiu jogar as duas primeiras partidas da pré-temporada.

Por mais que a franquia insista que ele jogará contra o Tampa Bay Buccaneers na abertura da temporada 21/22, preocupa quando o quarterback de US$ 40 milhões por ano fica fora da maior parte do training camp por um problema no braço que usa para arremessar.

Dak Prescott sofreu fratura exposta no tornozelo direito no ano passado — Foto: Tom Pennington/Getty Images

Dak Prescott sofreu fratura exposta no tornozelo direito no ano passado — Foto: Tom Pennington/Getty Images

Essa história pode seguir de duas formas: a primeira com Dak Prescott pronto para o início da temporada sem mais problemas, o que faria do Dallas Cowboys franco favorito na fraca NFC Leste, que também tem Washington, Eagles e Giants. A segunda tem o QB perdendo tempo significativo durante o ano, com o mundo do futebol americano olhando para trás e vendo que todos indícios de que isso aconteceria estavam lá.

Mesmo que o problema no ombro se prove um excesso de cautela do Dallas Cowboys com sua estrela, esperar que Prescott simplesmente retome de onde parou após tanto tempo parado por causa da fratura na perna é uma expectativa elevadíssima. Possível? Claro, mas pode demorar até que recupere sua melhor forma.

Com reforço no corpo de WRs, esse é o ano de Daniel Jones?

 

Daniel foi um dos raros consensos em Drafts da NFL, simplesmente ninguém avaliou a decisão do New York Giants de usar a 6ª escolha geral em 2019 como boa. Em campo, no entanto, é inegável que ele evoluiu do primeiro para o seu segundo ano, mesmo que pouco e com as estatísticas básicas como jardas e touchdowns não mostrando isso (esses números nunca medem de forma precisa o desempenho).

Daniel Jones é cercado de desconfiança desde que entrou na NFL — Foto: Jason Miller/Getty Images

Daniel Jones é cercado de desconfiança desde que entrou na NFL — Foto: Jason Miller/Getty Images

Suficiente para provar ser o cara do futuro da franquia? Longe disso. Podemos discutir se foi a escolha certa dos Giants terem selecionado Jones e agora apostado nele por um terceiro ano, mas a decisão está tomada. E pelo menos a franquia colocou um corpo de recebedores bom o suficiente para tirar qualquer desculpa de falta de alvos.

A linha ofensiva ainda precisa de muitos jogadores dando certo para ser pelo menos razoável, o que sempre preocupa. No grupo de recebedores, no entanto, os Giants investiram pesado ao trazer Kenny Golladay e ao draftar Kadarius Tooney. Junto com Shepard e Darius Slay se trata de um quarteto bem razoável, suficiente para uma avaliação definitiva se Jones é ou não o cara do futuro.

Idade chegou para Ben Roethlisberger ou ele ainda conseguirá jogar em alto nível?

 

Antes de Tom Brady ninguém nunca esperou que um quarterback de 39 anos como Ben Roethlisberger continuasse atuando em alto nível. E, por mais justificativas que os seus fãs queiram encontrar, Big Ben jogou como um QB em fim de carreira na temporada passada. Será possível reverter esse declínio?

Ben Roethlisberger se lesionou em 2019 e em 2020 não parecia o mesmo QB — Foto: Jason O. Watson / Stringer

Ben Roethlisberger se lesionou em 2019 e em 2020 não parecia o mesmo QB — Foto: Jason O. Watson / Stringer

Bastou que Roethisberger completasse um passe longo na pré-temporada, que não foram muitos ano passado, para os seus defensores voltarem a falar alto nas redes sociais. Notícias sobre sua suposta nova dieta saem a todo momento na imprensa dos EUA, apesar do QB admitir que não iria comer sorvete de abacate assim como Brady.

Quarterbacks próximos ao 40 anos não costumam frear declínio físico, a tendência é essa queda se acentuar. Se o tempo de Big Ben chegar mesmo ao fim após 2021, está tudo bem. Ninguém joga para sempre e, mais importante, poucos se aposentam com dois Super Bowls e quase duas décadas liderando uma das maiores franquias dos esportes americanos.

Jameis Winston poderá ser o herdeiro de Drew Brees?

 

Jameis Winston foi uma das primeiras escolhas gerais mais badaladas quando entrou na NFL em 2015. Em campo, como são muitos prospectos do tipo, ele não conseguiu corresponder ao potencial. Não podemos culpá-lo por falta de agressividade, o problema é a quantidade de vez que a bola terminava na mão de um defensor (88) e não em um recebedor dos Bucs.

Jameis Winston foi muito bem na pré-temporada — Foto: Chris Graythen/Getty Images

Jameis Winston foi muito bem na pré-temporada — Foto: Chris Graythen/Getty Images

Ter ido para o New Orleans Saints foi perfeito para Winston, que precisava de um ano sem a pressão de ter que ser o cara estando atrás de Drew Brees. Até cirurgia na visão ele fez, será que agora enxergará os linebackers?! Brincadeiras à parte, o QB tem a oportunidade perfeita de redenção jogando por uma grande mente ofensiva como Sean Payton. Aos 27 anos, ele pode ser a resposta a longo prazo que a franquia procura para substituir Brees.

Qual quarterback calouro será o melhor em 2021?

 

A história mostra que é impossível todos os quarterbacks draftados na primeira rodada em um mesmo ano sejam bons, mas depois de todos brilharem na pré-temporada ficou difícil apontar um “bust” entre eles.

Trevor Lawrence, Zach Wilson e Mac Jones serão titulares na semana 1. Justin Fields começa no banco, mas não vai demorar muito para conquistar a titularidade. Trey Lance é o único com chances de não jogar em 2021, já que tem um reserva mais qualificado (Jimmy Garoppolo) e teve um problema na mão na reta final do training camp.

Trevor Lawrence chega na NFL com expectativas altas — Foto: Tom Pennington/Getty Images

Trevor Lawrence chega na NFL com expectativas altas — Foto: Tom Pennington/Getty Images

O Jacksonville Jaguars escolheu Lawrence com a primeira escolha geral por um motivo. Ele é um dos melhores prospectos a entrar no Draft nos últimos tempos e tem tudo para começar em um nível superior aos colegas de classe. Jones tem uma base consideravelmente alta, podendo ser muito efetivo logo de cara mesmo que não tenha o potencial dos outros. Wilson, Fields e Lance são mais crus, cheios de ferramenta mas longe ainda do que se espera de um QB profissional na NFL no aspecto mental.

Por isso minha aposta é que Trevor Lawrence seja o melhor dos cinco logo de cara. Não acho impossível que daqui a cinco ou dez anos outro dos QBs acabe sendo o melhor da classe, mas Lawrence entra na NFL claramente bem acima dos demais calouros.

.

.

.

Fontes: Ge – Globo Esporte.

mais lidas