Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Sem categoria

Camareira luta com estuprador e escapa: ‘Era isso ou a morte’

Publicado

em

Camareira luta com estuprador e escapa: 'Era isso ou a morte'

Ela conseguiu fugir depois de entrar em luta corporal com o agressor. Caso foi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande

Uma mulher sofreu uma tentativa de estupro e lutou com o agressor enquanto voltava do trabalho em Praia Grande, no litoral de São Paulo. A camareira Maria Ivanilda da Conceição, de 43 anos, voltava para casa e foi abordada no bairro Vila Mirim quando desceu do ônibus por volta de 18h do último domingo (2).

Em entrevista, Ivanilda conta que se confundiu e desceu um ponto antes. Ela explica que depois de dez minutos andando em direção à sua rua, viu um homem suspeito e tentou ir até uma igreja próxima para despistar. “Ele começou a me xingar, me ameaçou com a faca e mandou eu fingir que era sua esposa”, conta.

https://i2.wp.com/s2.glbimg.com/U3buD7AiIhBuGgHMLzHae4HePXM=/0x0:800x600/1600x0/smart/filters:strip_icc()/i.s3.glbimg.com/v1/AUTH_59edd422c0c84a879bd37670ae4f538a/internal_photos/bs/2020/x/n/jU3mqJSw24nwGPBq1QAg/design-sem-nome.jpg?resize=445%2C334&ssl=1

Reprodução

A camareira relata que o homem a levou até um terreno baldio. No local, ele abaixou as calças e tentou obrigá-la a ter relações sexuais com ele, sob ameaças constantes. Ivanilda conta que negou, pediu que ele parasse e fosse embora, até que entrou em luta corporal com o homem.

“Eu pedia a Deus para que ele não me deixasse morrer”, desabafa. Ela disse que conseguiu segurar a faca que o agressor levou e que a briga durou cerca de 15 minutos. Ele ainda deu pedradas na camareira, que conseguiu fugir do local depois de reagir.”Se eu não tivesse lutado, teria morrido. Era isso ou a morte”.

“Nós mulheres somos alvo e não temos nem o direito de ir e vir do trabalho. Precisamos depender dos nossos maridos para buscar a gente no ponto e só assim não ser agredida”.

O caso foi registrado na Delegacia Sede de Praia Grande, onde será investigado pela Polícia Civil. Segundo apurado, imagens de câmeras de monitoramento podem ajudar a descobrir a identidade do suspeito. Até agora, porém, ele não foi localizado.

mais lidas