Siga nossa Redes

Política

Bolsonaro sanciona lei que permite Brasil adquirir vacinas do consórcio Covax Facility

Redação SP

Publicado

em

bolsonaro

Mas há alguns vetos. De um total de 42 milhões, o Brasil deve receber 10,6 milhões de doses de imunizantes no primeiro semestre. O lote vai custar R$ 2,5 bilhões.

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a lei que autoriza o Executivo federal a aderir ao consórcio Covax Facility, coalizão de mais de 150 países criada para impulsionar o desenvolvimento e a distribuição das vacinas contra a Covid-19. A iniciativa é liderada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A sanção foi publicada na madrugada desta terça-feira (2) do “Diário Oficial da União (DOU).

O Brasil deve receber 10,6 milhões de doses de vacinas pela Covax no primeiro semestre. Mas o acordo do país com a OMS prevê o recebimento de um total de 42 milhões de doses e vai custar R$ 2,5 bilhões.

Diz a Lei Nº 14.121, de 1º de março: autoriza o Poder Executivo federal a aderir ao Instrumento de Acesso Global de Vacinas Covid-19 (Covax Facility) e estabelece diretrizes para a imunização da população. O artigo 2º informa que o governo poderá adquirir vacinas “seguras e eficazes”.

Bolsonaro vetou os artigos 3°, 4°, 5°, 6° e 7°. Ele informou que parte dos artigos são inconstitucionais, não apontam estimativas de impacto orçamento e financeiro, podem gerar insegurança jurídica e violar o princípio constitucional da separação dos poderes ao retirar a competência privativa do presidente. Bolsonaro também vetou o prazo de cinco dias para Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizar o uso emergencial das vacinas.

Por G1

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

mais lidas