Siga nossa Redes

Bastidores

Bastidores – Jair Viana

Dia a Dia

Publicado

em

Bastidores - Jair Viana

“SANTA” VIOLÊNCIA
Pesquisa da Universidade Presbiteriana Mackenzie de
São Paulo, aponta que 40% das mulheres que declararam
ter sofrido violência física ou verbal de maridos
foram de evangélicas. Um dado que causa espanto,
posto que a ideia que se tem é outra. A situação é grave.

ANTIGA E RECENTE
Embora a pesquisa da Universidade do Mackienzie
seja de 2016, os dados se mantêm como coisa muito
fresca, pois ainda há relatos de mulheres evangélicas,
que vivem em constante situação de risco. A discussão
sobre o tema não ganha muito espaço nas próprias
igrejas. Isto é lamentável.

DEBATER E COMBATER
Cabe aos pastores, líderes de igrejas evangélicas, sem
rodeios, debater o assunto e combater as ações violentas.
O problema é que a maioria dos líderes jogam
a questão nas mãos de Deus, tirando o corpo fora,
achando que este é um problema para uma solução
divina. Errado. Pastores e pastoras, líderes em geral
têm obrigação de assumir a bronca e ajudar a essas
mulheres.

ENI CORRE
A semana da ex-vereadora Eni Fernandes (PT),
candidata a deputada estadual precisava ter dez dias.
Embora já conhecida pelas várias eleições que disputou,
ela corre pela região. Nas andanças, Eni acaba
trombando com eleitores da concorrente petista, Beth
Sahão e do ex-petista, o deputado estadual João Paulo
Rillo.

NA TELA NET
O deputado estadual Vaz de Lima (PSDB), que disputa
a reeleição, buscando o quarto mandato na Assembleia
Legislativa, tem optado por uma campanha virtual
mais intensa. Vaz está todos os dias com um novo
vídeo nas redes sociais. Ele também é adepto da live e
sempre aparece no Facebook com algum assunto.

PARCIALIDADE
A eleição é um evento que coloca à mostra a tendência
dos veículos de comunicação. Parte da chamada
grande imprensa, por exemplo, tem ignorado a decisão
do Comitê de Direitos |Humanos da ONU, que
concedeu liminar para que Lula dispute a eleição
presidencial deste ano. Para esses veículos, a decisão
é mera recomendação.Não é. A Suprema Corte e a
Procuradoria Geral da República, em outros casos, já
se pronun ciaram favoráveis à validade de tratados
internacionais.

Publicidade
Publicidade

mais lidas