Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Esportes

Árbitros são afastados após acusação de assédio e comentários preconceituosos: “Gostosinha, que delícia”; ouça

Publicado

em

Árbitros são afastados após acusação de assédio e comentários preconceituosos: "Gostosinha, que delícia"; ouça

Comentários ofensivos foram feitos por árbitros durante partida do Campeonato Brasileiro feminino de handebol disputado em Sorocaba, no interior de São Paulo

A CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) afastou dois árbitros que participavam do Campeonato Brasileiro Júnior de handebol feminino que foi disputado na última semana em Sorocaba, no interior de São Paulo.

O motivo foi uma série de comentários pejorativos contra um técnico e jogadoras que estavam em quadra durante a partida entre Fundesport/Araraquara e Centro Olímpico, disputada no dia 14 de setembro. Veja abaixo nota oficial da CBHb e do Araraquara, um dos times vítimas das ofensas.

As ofensas foram registradas durante a transmissão da partida feita por uma canal no Youtube. Nas gravações, é possível ouvir comentários sobre a forma física das jogadores, como “essa está gostosinha, que delícia”, “elas eram magrinhas, mas engordaram na pandemia”, além de palavras direcionadas ao técnico: “seboso, cara de bêbado, mal vestido. Parecia uma moça jogando”. Todas as vítimas defendem o time de Araraquara.

Campeonato Brasileiro Júnior feminino de handebol está sendo disputado em Sorocaba  — Foto: Fernando Rezende/Ser Unimed Sorocaba/PM Sorocaba

Campeonato Brasileiro Júnior feminino de handebol está sendo disputado em Sorocaba — Foto: Fernando Rezende/Ser Unimed Sorocaba/PM Sorocaba

O ge teve acesso aos trechos dos vídeos (veja acima). Fora da escala na partida em questão, eles estavam ao lado da câmera e tiveram os comentários captados. Os jogos vinham sendo transmitidos ao vivo, mas tiveram os registros apagados. São essas gravações que serão usadas como provas pelas pessoas ofendidas.

Principal alvo dos comentários, o técnico Robison Santos, do Araraquara, registrou boletim de ocorrência na manhã nesta segunda-feira. De acordo com o documento, o técnico diz ter sido ofendido com palavras que configuram crime contra a honra, injúria racial e assédio moral.

– As atletas estavam estudando e usando vídeos de um canal de handebol e acabarm ouvindo comentários que nao condizem com o que prega a educação básica. Ouviram palavras que me ofendiam e elas diretamente. Se sentiram constragidas, ficaram desequilibradas emocionalmente e me contaram. Prontamente repassei à Confederação Brasileira de Handebol e eles tomaram uma atitude prontamente – disse Robison Santos, técnico do Araraquara.

Algumas palavras ali não condizem com o que eu sou, isso atingiu todo mundo como uma bomba. Isso precisa ser levado adiante para que não se repita. Já deu, o Brasil está cansado disso”
— disse Robison Santos.

Trecho do boletim de ocorrência registrado pelo técnico Robison Santos — Foto: Reprodução

Trecho do boletim de ocorrência registrado pelo técnico Robison Santos — Foto: Reprodução

Robison Santos, técnico do time feminino de handebol de Araraquara — Foto: Emilio Botta

Robison Santos, técnico do time feminino de handebol de Araraquara — Foto: Emilio Botta

Jogadoras protestam durante Brasileiro feminino de handebol após caso de comentários ofensivos  — Foto: Arquivo Pessoal

Jogadoras protestam durante Brasileiro feminino de handebol após caso de comentários ofensivos — Foto: Arquivo Pessoal

Após a repercussão negativa entre jogadoras, membros de comissão técnica e staff envolvidos na competição, que teve fim no último domingo, os dois árbitros foram excluídos da competição e expulsos do hotel onde todos estavam hospedados em Sorocaba.

O caso será investigado pelo Comitê de Política para as Mulheres do Handebol e relatado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). A CBHb não divulgou o nome dos árbitros envolvidos nem o teor das ofensas.

– A Confederação repudia qualquer ato de preconceito e/ou desrespeito, seja dentro ou fora de quadra. Não podemos concordar ou aceitar comportamentos que não condizem com o handebol brasileiro. Como desportistas, precisamos dar exemplo e contribuir para uma sociedade cada vez mais igual e justa – diz um trecho da nota da CBHb.

– Chegou até a gente o fato em que Araraquara, através de um jogo que estava sendo transmitido na internet, soube de algumas falas que incomodaram. A equipe reportou o assunto pra gente e eu, junto com o delagado Rogério Aparecido, avaliamos e pegamos o vídeo na íntegra da partida. Através dessa análise, nós vimos algumas atitudes que não condiziam com as pessoas que estavam aqui trabalhando e resolvemos afastar os dois da competição e passamos o problema para a Condeferação, que vai fazer o julgamento. São comentários que para muitos podem ser simples, mas que para meninas de 15 a 19 anos incomodam, dizer sobre a forma fisica delas e sobre a aparecência física do técnico, que incomodou e mudou a vida dele. São atitudes que temos que tomar na hora para não deixar crescer no esporte. Não é so no handebol que acontece isso, tivemos que tomar uma atitude rápida e drástica – disse Lucila Vianna, representante da CBHb no Brasileiro de handebol.

Brasileiro Júnior feminino de handebol foi disputado em Sorocaba na última semana  — Foto: Fernando Rezende/Ser Unimed Sorocaba/PM Sorocaba

Brasileiro Júnior feminino de handebol foi disputado em Sorocaba na última semana — Foto: Fernando Rezende/Ser Unimed Sorocaba/PM Sorocaba

O Pinheiros acabou sendo campeão do Brasileiro Júnior de handebol feminino, ao vencer o Português-PE na final. A competição teve a participação de oito equipes, que se enfrentaram ao longo da última semana Sorocaba. São elas: Centro Olímpico, Fundesport Araraquara, Sorocaba, Pinheiros, Português, Concórdia, CSA e GHC.

Confira a nota do Fundesport/Araraquara:

Nossa equipe não tolera nenhum tipo de preconceito, violência moral, crime contra honra e atitudes machistas, ainda mais quando são cometidos dentro de quadra.

Nossa história sempre foi de luta e sempre buscamos a igualdade dentro do esporte, e infelizmente fomos alvos de comentários que vão contra os nossos princípios.

Informamos que não iremos ignorar esta situação e já estamos tomando todas as medidas cabíveis para que seja feita a justiça diante do ocorrido.

Confira abaixo a nota da CBHb:

A Confederação Brasileira de Handebol comunica que tomou conhecimento dos fatos envolvendo dois árbitros da CBHb durante a realização do Campeonato Brasileiro Júnior Feminino, na cidade de Sorocaba, nesta semana. De forma preventiva, foram adotadas as seguintes providências.

– Afastou os envolvidos em definitivo da competição;
– Cautelarmente, afastou também do quadro de árbitros da CBHb;
– Determinou que a diretora do Comitê de Política para as Mulheres do Handebol, Lucila Vianna, destaque um representante do Comitê para acompanhar de perto todo o caso e emita um relatório final com análise de todo o processo e iniciativas que devem ser tomadas para evitar a repetição dos fatos.

Além disso, a Confederação comunicará o caso ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por meio da Procuradoria de Justiça Desportiva, para que ocorra a apuração e, se necessário, o julgamento do caso de forma justa, segundo o que rege o Código Brasileiro de Justiça Desportiva, sem prejuízos de outras possíveis providências judiciais que a entidade julgue cabíveis no decorrer da apuração dos fatos.

A Confederação repudia qualquer ato de preconceito e/ou desrespeito, seja dentro ou fora de quadra. Não podemos concordar ou aceitar comportamentos que não condizem com o handebol brasileiro. Como desportistas, precisamos dar exemplo e contribuir para uma sociedade cada vez mais igual e justa.

A CBHb se coloca à disposição de todos que estão participando do Campeonato Brasileiro Júnior Feminino para contribuir com o que for necessário.

.
.
.
Globo Esporte

mais lidas