Siga nossa Redes

Esportes

Após trocas no elenco, São Paulo mantém patamar de folha salarial longe da meta do ano

Redação SP

Publicado

em

Após trocas no elenco, São Paulo mantém patamar de folha salarial longe da meta do ano

Ideia da diretoria é cortar até 15% do custo em 2021, mas redução está próxima de 1%

Um dos objetivos da nova gestão do São Paulo é cortar gastos. Diante da crise financeira potencializada pela pandemia do novo coronavírus, o clube quer reduzir a folha salarial em até 15% até 1º de janeiro de 2022. No entanto, passados quase quatro meses e com a chegada de seis reforços (Eder, William, Benítez, Orejuela, Bruno Rodrigues e Miranda), a situação segue praticamente equivalente ao encontrado na virada para 2021.

Segundo apurou o ge, a redução total da folha salarial do São Paulo se encontra próxima de 1%, número contabilizado depois da saída de Tchê Tchê, negociado com o Atlético-MG, e da renovação de Rodrigo Nestor, que ganhou um aumento após se tornar titular do time de Hernán Crespo e renovar contrato.

A valorização de Nestor é um exemplo de como a redução acabou freada neste momento. Na comparação direta entre os atletas que saíram, como Tchê Tchê e Juanfran, e que chegaram, o São Paulo conseguiu diminuir os vencimentos mensais em 7%. A conta geral, no entanto, praticamente não reduz a folha, um dos objetivos da diretoria.

Em entrevista concedida ao ge, o diretor de futebol Carlos Belmonte comentou sobre a ideia da atual gestão de cortar ainda mais gastos durante a temporada, apesar da chegada de reforços. Somente em 2020, em virtude dos efeitos da pandemia de Covid-19, o São Paulo calcula R$ 130 milhões a menos de receitas.

— A gente quer entregar a folha, no dia 1 de janeiro de 2022, entre 10% e 15% menor do que recebemos em 1 de janeiro de 2021 — comentou o dirigente, há menos de um mês.

Diretor de futebol do São Paulo admite a necessidade de vender mais jogadores em 2021

Diretor de futebol do São Paulo admite a necessidade de vender mais jogadores em 2021

No fim de 2020, o São Paulo afirmou em ação judicial que a folha salarial se encontrava na casa dos R$ 12 milhões por mês.

Assim, conforme o objetivo traçado pela diretoria de diminuir os vencimentos entre 10% e 15%, a redução no fim do ano levaria os vencimentos dos jogadores profissionais para casa dos 10 milhões.

Não há segredo. Para diminuir a folha salarial, o São Paulo vai precisar negociar jogadores. No momento, o mercado está parado tanto para chegadas quanto para saídas.

Diretor de futebol do São Paulo estima dívida com Daniel Alves em cerca de R$10 milhões

Diretor de futebol do São Paulo estima dívida com Daniel Alves em cerca de R$10 milhões

Um bom exemplo é a permanência momentânea de Everton Felipe, que, sem propostas, voltou a trabalhar com o grupo de Hernán Crespo. O jogador, inclusive, acabou inscrito pelo time na Copa Libertadores da América.

Ainda na mesma entrevista concedida ao ge, Belmonte admitiu que precisará vender outros atletas para cumprir a previsão de R$ 176 milhões de receitas no mercado de transferências. Somente Brenner, vendido em janeiro, rendeu R$ 80 milhões aos cofres são-paulinos.

.

.

.

Fonte: GE – Globo Esporte.

mais lidas