Siga nossa Redes
xvideos4.pro julia jerez de garcia salinas.
ngentot pagkantot sa magandang kapitbahay.
www.hotdesimovs.com blowjobs and pussy play.

Mundo

Americano que comprou um Lamborghini com dinheiro de auxílio durante a pandemia é condenado a 9 anos de prisão

Publicado

em

Americano que comprou um Lamborghini com dinheiro de auxílio durante a pandemia é condenado a 9 anos de prisão

Apesar de não ter funcionários, americano conseguiu fraudar documentos para receber auxílio que seria destinado à manutenção de folha de pagamentos de empresas. Ele recebeu US$ 1,6 milhão.

A Justiça do estado do Texas, nos Estados Unidos, condenou um homem a 9 anos de cadeia por ter captado dinheiro de empréstimos emergenciais durante a pandemia de Covid-19 e comprou um Lamborghini, um carro de luxo italiano.

O condenado é Lee Price III, de 30 anos. Ele foi condenado a 110 meses por fraude e lavagem de dinheiro, de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA.

Em setembro ele havia se declarado culpado dos crimes.

Price recebeu US$ 1,6 milhão em empréstimos do Programa de Proteção à Folha de Proteção, que o Legislativo dos EUA havia aprovado em março de 2020 para auxiliar empresas afetadas pela pandemia.

A empresa de Price não tinha nenhum histórico de fazer pagamentos de salários, mas ele conseguiu o dinheiro mesmo assim. De acordo com a Justiça dos EUA, ele comprou:

  • Um carro do modelo Urus da Lamborguini;
  • Um carro do modelo F-350 da Ford;
  • Um relógio da marca Rolex.

 

Mais de US$ 700 mil foram recuperados, segundo os promotores.

O advogado de Price, Tom Berg, disse que o cliente dele se declarou culpado sem exigir algo em troca, como redução de pena. ” Price espera que outros aprendam com sua avaliação de que não há dinheiro fácil”, disse Berg por e-mail.

O Programa de Proteção à Folha de Pagamento foi parte da de um pacote mais de US $ 2 trilhões, que foi aprovado para fornecer socorro aos trabalhadores e empresas devastadas pela pandemia.

Pelo menos 120 pessoas foram acusadas de fraude relacionada ao programa, disse o Departamento de Justiça em março.

.

.

.

G1

mais lidas